Joab Sangi_Coordenador Técnicas de palco

VEM FAZER CURSOS NO INSTITUTO DO TEATRO BRASILEIRO! JOAB SANGI TÁ LÁ, ENSINANDO!

Cursos nas áreas de luz, som, técnicas de palco e produção são gratuitos e têm aulas nos equipamentos do Instituto Usiminas. Inscrições acontecem de 21 de fevereiro a 11 de março.

Com a missão de formar profissionais para as áreas técnicas e de produção cultural, o Instituto do Teatro Brasileiro (ITB) abre o processo seletivo para novas turmas de seu programa PTAC – Práticas e Técnicas para as Artes Cênicas no município de Ipatinga, em Minas Gerais. Os cursos são gratuitos e as aulas acontecem entre 13 de abril e o final de julho de 2022. O projeto conta com o patrocínio da Usiminas por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e apoio do Instituto Usiminas.

As inscrições estão abertas entre os dias 21 de fevereiro e 11 de março e são feitas por meio do site www.itb.art.br. Podem participar do processo candidatos que possuam Ensino Médio completo e tenham mais de 18 anos.  A seleção ocorre em duas etapas e leva em consideração a Lei nº 12.711/2012, sobre a política de cotas para o ingresso em universidades públicas federais.  A primeira fase consiste na análise da ficha de inscrição; e a segunda, em entrevistas com os coordenadores dos cursos.

Os responsáveis pelo programa são a consultora pedagógica Maria Thais, os coordenadores pedagógicos André Prado e Gabriel Fontes Paiva (que também coordenam as oficinas de luz e produção, respectivamente) e pelos coordenadores das oficinas de som e palco André Omote e Joab Sangi. O corpo docente ainda contará com mais de 40 profissionais com notório conhecimento nas disciplinas ministradas.

Com duração total de 96 horas e 40 horas de estágio supervisionado obrigatório, o PTAC oferece formação nas áreas de luz, som, técnicas de palco e produção. As aulas acontecem em formato híbrido, tanto presencialmente nos equipamentos do Instituto Usiminas como por meio de uma plataforma digital. O programa tem formato de um laboratório e oficinas com foco em conhecimentos gerais e diversos nas artes cênica, além de conteúdo específico sobre cada área. Ao final do curso, os alunos aprovados recebem um certificado de participação do ITB e o registro profissional.

Cada curso é dividido em quatro módulos. O Módulo 1 (com 48 horas) tem grade curricular comum para todas as turmas, pois tem como objetivo contextualizar o aluno à área artística e ao ambiente profissional.

Com grade específica por curso, o Módulo 2 (com 16 horas) tem como objetivo fundamentar o aluno sobre os fenômenos científicos e conceitos da área escolhida. O Módulo 3 (com 32 horas) tem a proposta de aprofundar e desenvolver os conhecimentos vistos até o momento.

E o Módulo 4 (com duração de 40 horas) é o estágio supervisionado, que tem como objetivo introduzir o aluno no mercado de trabalho e ajudá-lo a experimentar o cotidiano da profissão. Há também uma consultoria a partir da avaliação entregue pela entidade parceira que oferece o estágio.

Formando profissionais

O programa Práticas e Técnicas para as Artes Cênicas – PTAC – surge a partir da percepção do Instituto do Teatro Brasileiro sobre as relações entre formação e as crescentes demandas do mercado de trabalho de profissionais nas áreas técnicas e de produção, no campo das artes cênicas. Se por um lado, observa-se a carência de cursos e estudos dedicados à formação de técnicos e produtores, por outro, identifica-se uma crescente oferta de trabalho para estes profissionais, que são convidados a atuar em diferentes contextos e linguagens. Profissionais com experiência acumulada são cada vez mais solicitados pela produção cultural e os jovens técnicos, na maioria das vezes, trilham um caminho de ensino não formal baseada apenas na instrumentalização técnica, sem uma perspectiva artística e criativa.

O PTAC é um laboratório de oficinas de formação com um foco inicial voltado para a introdução aos fundamentos da linguagem cênica e, a seguir, dos conteúdos específicos de cada área. Pensado como um laboratório prático, criativo, de experimentação, os módulos iniciais serão comuns a todas as áreas e o desenvolvimento de projetos serão realizados por cada área específica.

Alguns princípios norteiam a formulação do PTAC, tais como: construir um programa que observe as especificidades de cada lugar – região, cidade etc.  – onde irá acontecer; encontrar parcerias locais (institucional, artística, pedagógica); transitar por regiões, permitindo o intercâmbio com artistas e formadores de todo o país; ser uma laboratório prático de criação e experimentação; desenvolver um programa transversal, que permita aos alunos uma atuação autônoma e responsável.

O programa estreia em Ipatinga (MG) e deve chegar em breve a cidades de outras regiões do país, como São Paulo (SP) e o Petrolina (PE). E, para oferecer uma formação plural, que se adeque ao contexto de cada lugar atendido pelo programa, os cursos são ministrados por profissionais locais.  “O Brasil possui, em todas as suas regiões, artistas criativos, que conhecem a realidade cultural dos seus territórios, com os quais poderemos aprender os diversos modos de fazer teatro”, explica Gabriel Fontes Paiva.

“E os professores locais também farão trocas com os demais mentores vindos de fora. Queremos que esse intercâmbio torne a experiência ainda mais enriquecedora para os alunos”, acrescenta André Prado.

Sobre o ITB e os profissionais do PTAC

O Instituto do Teatro Brasileiro – ITB nasce para proteger o registro da história do teatro no país, assim como, para multiplicar seu alcance. Três pilares norteiam sua atuação: a democratização do teatro, a formação e a preservação de memória.

Maria Thais (consultora pedagógica)

Maria Thais é professora doutora em Interpretação e Direção Teatral no Departamento de Artes Cênicas da ECA/USP. Ela ministra disciplinas no Programa de Pós-graduação e é diretora da Cia Teatro Balagan.

Foi professora do Departamento de Artes Cênicas da Unicamp e responsável pela concepção, implantação e coordenação do projeto Escola Livre de Teatro, do Departamento de Cultura de Santo André.

Gabriel Fontes Paiva (coordenador pedagógico e do curso de Produção Cultural)

Gabriel Fontes Paiva idealizou e realizou mais de 80 projetos culturais de destaque, fundamentados em pesquisas e experimentações cênicas e construídos coletivamente com alguns dos principais artistas do teatro e da música da atualidade no Brasil.

Dirigiu vários espetáculos de teatro, com destaque para “Neste Mundo Louco Nesta Noite Brilhante”, “A Golondrina”, “Marte, Você Está Aí?” e “Uma Espécie de Alasca”. Possui seu escritório de produção cultural desde 2001, a Fontes Realizações Artísticas. E é diretor artístico do Grupo 3 de Teatro, fundado em 2005 por ele e as atrizes Yara de Novaes e Débora Falabella. Foi presidente da APTI (Associação dos Produtores Teatrais Independentes) até́ 2021.

André Luiz Prado (coordenador pedagógico e do curso de Técnico em Iluminação Cênica)

André Luiz Prado começou sua carreira artística em 1996 na área da música e em 1998 no teatro. Iniciou seus estudos acadêmicos no curso de Comunicação Social pela Universidade São Judas Tadeu. É formado em Eletroeletrônica pela Escola SENAI Jacob Lafer e estudou Iluminação cênica com o diretor Roberto Lima.

Tem atuado como iluminador de muitos grupos da cena teatral, da música e da dança paulistana. Foi coordenador técnico do Projeto Piloto e da primeira gestão da ocupação artística da antiga Escola Municipal de Bailados de São Paulo, hoje Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo.

André Luís Omote (coordenador do curso de Técnico de Som)

Desde 1991, André́ Omote trabalha com sonorização de espetáculos teatrais, óperas, musicais, balés, shows e eventos. Fez o projeto de som de 28 peças e musicais, coordenou a sonorização de 20 óperas realizadas no Theatro Municipal de São Paulo e operou o som de mais de 70 espetáculos teatrais, shows, musicais e eventos.

Joab Sangi (coordenador do curso de Técnicas de Palco)

Arquiteto, cenógrafo, figurinista e design de produtos, Joab Sangi é natural de Ipatinga (MG). É mestrando em design de Produtos e Espaço – IADE Creative University (Lisboa / Portugal); graduado em Arquitetura e Urbanismo pela UNILESTE; e formado no curso de Iluminação cênica pelo Seminaluz. Também passou pelo Núcleo de pesquisa em cenografia do Galpão Cine Horto; fez curso livre de cenografia e Expografia – Itaú́ Cultural e realizou vários cursos de formação criativa em artes cênicas.

É professor do módulo de cenografia e figurinos no curso livre de teatro do Espaço Cultural Casa Laboratório e assina, desde 2015, todos os projetos cenográficos desse equipamento e da Orquestra de Viola Caipira Vale do Aço.

Serviço:

PTAC – Práticas e Técnicas para as Artes Cênicas

Turmas para o município de Ipatinga (MG)

Inscrições: de 21 de fevereiro a 11 de março, feitas por meio do site www.itb.art.br.

Aulas: 13 de abril ao final de julho.

Número de vagas:  20 para Produção Cultural, 20 para Técnicas de Palco, 20 para Técnico de Som e 20 Técnico de Iluminação.

Compartilhe com um amigo

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Agenda de convergencia
Cenibra
Sindcomércio Vale do Aço
Cenibra 3
AAPi
WR
Unimed
Usiminas
Cenibra 02
Usisaude 2
Usisaude 1
Usisaude 3
Cenibra 105 mil
Agasalho 2022