Equipe responsável pela implementação do projeto na FSFX

HOSPITAL MÁRCIO CUNHA IMPLANTA TECNOLOGIA INOVADORA

Unidade hospitalar da Fundação São Francisco Xavier, em Ipatinga, é a primeira a utilizar software de auditoria de contas em Minas Gerais. Procedimento será ampliado para outros hospitais da FSFX até o fim do ano

O Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga (MG), administrado pela Fundação São Francisco Xavier, acaba de implantar uma tecnologia pioneira de inteligência artificial: o sistema Dr. Marvin. Trata-se de um software inovador de análise de contas e auditoria médica que utiliza técnicas de inteligência artificial (IA) para leitura de prontuários, interpretação de regras de cobrança e verificação de contas.

A instituição é a primeira em todo o estado de Minas Gerais a contar com o Dr. Marvin. A coordenadora da área de faturamento da FSFX, Leila de Lourdes, explica a importância do software. “O sistema permitirá auditar 100% dos nossos prontuários, com leitura precisa de todas as evoluções, sejam médicas ou de enfermagem. A expectativa é que a ferramenta promova ganho de receita de até 5% e reduza as perdas em até 10%”, detalha.

Como funciona

O software Dr. Marvin usa inteligência artificial e conhecimento de contas médicas para realizar, de forma automática, o trabalho que um auditor humano faz quando avalia uma conta, só que em menor tempo. O sistema utiliza o NLP, um processamento de linguagem natural para compreender os textos clínicos do prontuário. Com isso, ele extrai as informações mais importantes do prontuário para verificar as contas e valida se tudo o que está lançado e registrado realmente foi utilizado no atendimento do paciente.

 

Transparência e agilidade

Com a leitura automática do prontuário, o Hospital Márcio Cunha vai reduzir o tempo e a qualidade do faturamento. “Dessa forma, vamos tornar essa cobrança muito mais rápida e transparente para o nosso cliente. Além disso, promoverá uma troca mais assertiva com as operadoras de planos de saúde”, comenta a analista de faturamento da FSFX, Jéssica Sabrina Marques.

 

A analista lembra, ainda, que a utilização dessa tecnologia é viável porque o Hospital possui um sistema de prontuário digitalizado. “A Fundação sempre busca inovar com tecnologia, transparência e credibilidade. Hoje temos muitas informações relevantes 100% digitalizadas. Por isso que saímos à frente e começamos a utilizar uma ferramenta tão moderna. Somos a primeira instituição em Minas e um dos poucos hospitais do país a utilizá-la”.

 

Por enquanto, o sistema Dr. Marvin será utilizado em modelo piloto no Hospital Márcio Cunha e para alguns convênios de saúde. No final do mês, a tecnologia será ampliada para todos os convênios atendidos pela instituição. Até o final do ano, o software será utilizado no Hospital de Cubatão (SP) e no Hospital e Maternidade Vital Brazil, em Timóteo (MG).

 

Compartilhe com um amigo

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email