PERioDoce1_EvandroRodney

APL É CRIADO NA REGIÃO DE MARLIÉRIA

O Circuito Turístico Mata Atlântica de Minas (CTMAM) está entre as instituições participantes do projeto de viabilização do Arranjo Produtivo Local (APL) de Turismo da região de Marliéria, que contemplará empreendimentos e instituições localizadas no entorno do Parque Estadual do Rio Doce (PERD). O planejamento estratégico é desenvolvido pela Fundação Renova, por meio da Moore Consultoria. O APL da região de Marliéria é um dos quatro projetos desenvolvidos pela instituição. Os municípios de Mariana e Governador Valadares, em Minas Gerais, e Linhares, no Espírito Santo, também estão desenvolvendo APLs de Turismo com o aporte da Fundação Renova.

Com a construção de um Planejamento Estratégico inicial de cinco anos, porém com o intuito de ser revisado anualmente, o APL conta com a participação de diversos representantes do trade turístico da região, como:  Prefeitura de Marliéria, Parque Estadual do Rio Doce, Instituto Estadual das Florestas, Cenibra, Projeto Turismo no Vale, Sebrae, CTMAM, Vale, Vale do Aço Conventions & Visitors Bureau, Vale, associações comerciais e de artesanato, empreendedores dos setores de alimentação, hospedagem e turismo, entre outros.

O CTMAM envolve 13 municípios associados ao Circuito que podem fazer parte do APL de Turismo da região de Marliéria. “Promover e engajar em iniciativas que desenvolvam o turismo da região está entre as prioridades do Circuito Mata Atlântica de Minas. Atendemos prontamente ao convite da Fundação Renova e estamos participando ativamente da elaboração do APL de Turismo. Seguimos à disposição para contribuir com o planejamento no que for preciso”, enfatiza o presidente do CTMAM, Hélio Anício.

Metodologia

As mobilizações para a criação do Arranjo Produtivo Local de Turismo da região de Marliéria começaram em outubro de 2020, através da construção do planejamento de atividades que nortearão a implantação do APL. O planejamento visa frentes de trabalho para a elaboração de projetos, formação, capacitação, descoberta de vocações locais e a introdução de novos formatos de produtos e serviços, tendo como foco o Parque Estadual do Rio Doce e municípios do entorno.

Segundo informações da empresa contratada para conduzir o APL de Turismo em Marliéria, até o momento já foram realizadas mais de 60 entrevistas individuais, com membros do trade de turismo e com representantes da Fundação Renova, além da realização de seis Workshops, para nivelar o conhecimento acerca de Arranjos Produtivos Locais com os membros. Na fase atual do projeto, a proposta é trabalhar os objetivos levantados pelos representantes locais sobre o mercado, o ambiente institucional de negócios, a eficiência da cadeia, tecnologia e pessoas, visando a criação de projetos e ações a que valorizem as iniciativas já existentes e façam com que o APL tenha uma atuação estruturada e perene.

A próxima etapa será a formação da Entidade de Governança Local (EGL), estrutura que será formada por entidades representativas e instituições apoiadoras para condução do Arranjo Produtivo Local de Marliéria.

Sobre o APL de Turismo de Marliéria

“O APL de Turismo é uma excelente oportunidade para envolvimento dos municípios do Circuito e do Vale do Aço Convention & Visitors Bureau em iniciativas pelo desenvolvimento do turismo da região. O APL vai funcionar e nos trará resultados com a condução integrada das iniciativas já existentes, investindo em educação em turismo, pois é fundamental que todos conheçam e se apropriem do PERD, que possui a maior biodiversidade do mundo”. (Rodrigo Vieira, diretor de Comunicação e Marketing do CTMAM e presidente do Vale do Aço Convention & Visitors Bureau)

“Fazendo articulação com os atores do turismo e reforçando o trabalho já desenvolvido pelo Vale do Aço Destino Turístico, o APL de Turismo vai beneficiar muito a região, uma vez que vai trabalhar com segmentos que a vocação turística da região. Será preciso criar produtos turísticos e transformar a região em um destino competitivo turisticamente, considerando os trabalhos já desenvolvidos pelo CTMAM e Projeto Turismo do Vale.”(Cidinha Sampaio, empreendedora do Cozinha e Arte, em Ipatinga, e representante do Projeto Turismo no Vale)

 

“O APL de Turismo será de grande importância para alavancar o turismo na região e, principalmente, para a economia e para a valorização do Parque Estadual do Rio Doce. Trata-se de um projeto que vai trazer oportunidades para toda a cadeia do turismo. É a primeira vez que participo da construção de um projeto de APL e tem sido um processo de muito aprendizado”. (Sebastião Tomas Carvalho, especialista em Meio Ambiente da Cenibra, representa a empresa no conselho consultivo do Parque Estadual do Rio Doce)

 

“Todas as iniciativas que incentivem discussão e estratégias para o desenvolvimento do Turismo na região são muito bem-vindas. Os desafios são tirar o planejamento do papel e aumentar a participação dos empreendedores no APL. Com planejamento e investimento, será possível alcançá-los. A iniciativa soma-se aos esforços do Projeto Turismo no Vale e do Circuito Mata Atlântica de Minas para tornar o Vale do Aço um destino turístico consolidado.” (Alessandro Challub, analista do Sebrae Minas)

 

“O projeto do APL Turismo precisa continuar a mobilizar os atores que vão atuar na região do Parque Estadual do Rio Doce. Desta forma, vamos formular com clareza qual o modelo de turismo será desenvolvido para a unidade de conservação e seu entorno. Também será preciso mobilizar e promover qualificação para quem atua nesses empreendimentos, pensando sempre de modo estratégico para nos planejar para o cenário pós-pandemia.” (Denise de Castro Pereira, empreendedora da Fazenda Tio Totoni, em Marliéria)

 

 

 

Compartilhe com um amigo

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Agenda de convergencia
Cenibra
Sindcomércio Vale do Aço
AAPi
WR
Unimed
Usiminas
Cenibra 02
Usisaude 2
Usisaude 1
Usisaude 3