SS, um grito em preto e branco

SEBASTIÃO SALGADO GANHA MAIS UM PRÊMIO INTERNACIONAL

Um dos maiores talentos contemporâneos da fotografia, o brasileiro Sebastião Salgado é um dos vencedores do 32° Praemium Imperiale, considerado como o Nobel das Artes. A lista dos laureados foi divulgada nesta terça-feira 14 em Paris.

O fotógrafo Sebastião Salgado, de 77 anos, foi um dos vencedores da 32ª edição do Prêmio Imperial do Japão, considerado como o Nobel das Artes. Antes de Sebastião Salgado, apenas dois outros brasileiros foram agraciados, os arquitetos Paulo Mendes da Rocha (2016) e Oscar Niemeyer (2004).

Criado em 1988, o prêmio concede 15 milhões de ienes (cerca de 137.000 dólares) aos vencedores e a cerimônia de entrega acontece em Toquio, feita pelo príncipe Hitachi, irmão mais novo do imperador Akihito. Porém, devido à pandemia, o evento não ocorrerá presencialmente este ano. Além de Salgado, que foi premiado na categoria pintura, também ganharam o prêmio este ano o escultor americano James Turrell, o arquiteto australiano Glenn Murcutt e o violoncelista Yo-Yo Ma. Não foram escolhidos artistas nas categorias teatro e cinema em decorrência da pandemia.

Em seu mais recente trabalho, o fotógrafo retratou os povos indígenas da Amazônia e também a floresta, publicadas no livro Amazônia. “Nesse trabalho, eu quis fotografar a Amazônia viva. A Amazônia morta, destruída pelo garimpo e pelo fogo, eu não procurei.”

HISTÓRIA

Pra quem não conhece, Sebastião Salgado é um fotógrafo mineiro de Aimorés que conquistou o mundo com seu olhar único e suas imagens cheias de impacto e sentimento. Assim, usa as lentes para registrar e contar histórias de pessoas e lugares remotos e esquecidos. Doutor em Economia pela Universidade de Paris, descobriu na fotografia sua paixão. Seu estilo e técnica incomparáveis lhe renderam quase todos os principais prêmios de fotografia do planeta. Mas Salgado foi muito além do fotojornalismo. Ele decidiu usar o trabalho para promover reflexões sobre cenários e questões sociais no Brasil e em muitos outros países.

Foi eleito representante especial da Unicef e membro honorário da Academia das Artes e Ciências dos Estados Unidos. Já em 2019, recebeu o Prêmio da Paz do Comércio Livreiro Alemão. Esse é um dos eventos literários mais importantes da Alemanha. Salgado, de acordo com a premiação, é um artista que promove a justiça e a paz sociais e o debate sobre a proteção da natureza e do clima.

INSTITUTO TERRA

Além disso, o engajamento de Sebastião Salgado o levou a criar o Instituto Terra, em 1998, ao lado de sua esposa, Lélia Wanick Salgado. O projeto nasceu com o intuito de recuperar uma área de Mata Atlântica em Minas Gerais. No entanto, o programa cresceu e hoje engloba também municípios do Espírito Santo. Para isso, montaram uma rede de voluntários e parceiros. São eles que ajudam a financiar e apoiar os programas da instituição. Atualmente, são pouco mais de 711 hectares e uma parte, aliás, está aberta à visitação pública.

No entorno do Vale do Rio Doce, Sebastião e Lélia oferecem ainda campanhas de educação ambiental para as comunidades locais. Ademais, prestam consultoria aos agricultores e garimpeiros da região.

Em 22 anos de existência, o Instituto Terra já reflorestou milhares de hectares de Mata Atlântica. Além disso, quase duas mil nascentes seguem em recuperação.

“Precisamos ouvir as palavras das pessoas na Terra. A natureza é a terra e são outros seres, e se não tivermos algum tipo de retorno espiritual ao nosso planeta, temo que seremos comprometidos”, disse Salgado certa vez em entrevista.

FONTES: https://veja.abril.com.br/

Jornalismo crítico e transparente. Notícias sobre política, economia e sociedade com olhar progressista

https://www.google.com/

https://www.dci.com.br/

Compartilhe com um amigo

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Agenda de convergencia
Cenibra
Sindcomércio Vale do Aço
AAPi
WR
Unimed
Usiminas
Cenibra 02
Usisaude 2
Usisaude 1
Usisaude 3