VANUZA BÁRBARA HOMENAGEIA CHICA DA SILVA

 

A escrava Chica da Silva é tema da nova coleção que a estilista Vanuza Bárbara lança, no próximo dia 9 de outubro, às 19h30, no Instituto Cultural da Aperam, em Timóteo.

Emblemática, Chica passou a dama após ser alforriada, ganhando destaque na sociedade colonial de Diamantina pelo luxo que ostentava e modos de vida incorporados dos nobres portugueses. As novas criações de Vanuza Bárbara refletem essas características marcantes de Chica, destacando a liberdade e a estreita ligação que a lendária personagem mantinha com as artes e a cultura.

As peças da estilista trazem motivos que remetem à cidade de Diamantina, como os telhados, as treliças das janelas das casas, dentre outros elementos que marcam a arquitetura da cidade. Os diamantes também estão em evidência na nova coleção de Vanuza Bárbara, numa alusão ao explorador do valioso cristal, João Fernandes, que se apaixonou por Chica.

A coleção de Vanuza Bárbara, composta por 30 peças, propõe reflexões sobre a condição da escrava, que se liberta após se tornar mulher de João Fernandes. O conjunto da obra traça um paralelo entre as duas vidas, da escrava e seu amante, ao abordar a condição do contratador de diamantes, que por toda vida se manteve preso à fortuna, uma outra forma de escravidão.

SUSTENTABILIDADE

Em perfeita relação de harmonia, tons terrosos tingem as roupas e assessórios assinados por Vanuza Bárbara, que obteve as cores por meio de pigmentos naturais, como terra e café. Cortes amplos e estampas simulando texturas das rendas brincam com os pontos tecidos em parceria com o Grupo de Bordadeiras do Bom Jardim, fundamental na execução do Trans-Bordando em Chica..

Fiel à linha das coleções anteriores, a artista desenvolveu roupas que prezam a sustentabilidade e o caráter social, próprios de seu trabalho. Os tecidos usados na confecção das roupas vêm da Provest Uniformes. “São refugo da fábrica e que seriam descartados para o meio ambiente caso não fossem utilizados na coleção”, comenta Vanuza Bárbara.

O cenário da exposição também será montado com materiais de refugo dos patrocinadores. “Tudo inspirado em Chica e nos lugares onde ela viveu, como na região do Sêrro, que tem suas flores estampadas em nossas roupas; e Diamantina, com suas ruas estreitas, calçamento em pedra, luminárias que dão um ar romântico à cidade”, enumera Vanuza Bárbara.

Em relação ao aspecto social do projeto, o trabalho em parceria com as artesãs gerou renda para o grupo, além de promover o seu crescimento profissional. Para desenvolver as peças, as bordadeiras foram contempladas com cursos de desenho e bordado contemporâneo ministrados, respectivamente, pelas designers Fernanda La Noce e Manu Romano.

ABAYOMI

Esculturas da boneca abayomi, criadas pelo artista plástico Rogério Terra, farão parte da cenografia da exposição de Vanuza Bárbara, rememorando os brinquedos feitos de retalhos recortados das barras das roupas das escravas. “As bonequinhas eram confeccionadas pelas negras, como um ato de amor, pois tinham como propósito aliviar a dor dos negros submetidos à escravidão. Elas eram símbolo de força, vistas como mensageiras da felicidade”, explica Vanuza Bárbara.

As esculturas de Rogério Terra, em sintonia com o trabalho de Vanuza Bárbara, são sustentáveis. Elas foram produzidas com restos de papéis, isopor e rolos de papéis.

Trans-Bordando em Chica conta com patrocínio da Provest Uniformes, Fraldas Carinho e Love Life Lingerie, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

 

SERVIÇO

Trans-Bordando em Chica, nova coleção de Vanuza Bárbara. Lançamento no próximo dia 9, sexta-feira, às 19h30, no Instituto Cultural da Aperam.

A abertura do lançamento de Trans-Bordando em Chica terá como atração Flora Manga, artista que participou do projeto contando histórias para as bordadeiras e costureiras. “Essa ação teve como propósito sensibilizar o grupo para que despertasse o seu potencial, valorizando a contribuição de cada uma das artesãs”, comenta.

Para o lançamento da nova coleção de Vanuza Bárbara, Flora Manga adianta que falará sobre a história de Chica da Silva contada por meio das peças que a estilista concebeu e os personagens que fazem parte desse enredo. Outras atrações do lançamento do projeto Trans-Bordando em Chica serão a exposição de fotografias de Nilmar Lage, Ricardo Alves e Rodrigo Zeferino, além de show com Nari Farias, que dá alma às letras e melodias de autoria de compositores negros das Minas Gerais.

Para a noite de sexta-feira, Nari convida os músicos Vaninho Vieira (violão e voz) e Fabrício Cachoeira (percussão), ambos, grandes parceiros do projeto.

Fotos: Grão Fotografia