USIMINAS: VISITAS COM HISTÓRIAS

O caminho da produção do aço, o universo na usina de Ipatinga e o meio ambiente da siderúrgica deram vida à imaginação de cerca de 70 estudantes na última terça-feira (7). A Usiminas abriu suas portas para a comunidade ao receber duas escolas na primeira edição do “Conhecendo a Usiminas”. A atividade faz parte da programação do Projeto Xerimbabo Usiminas 2017, que este ano está integrada à área de Ação Educativa do Instituto Cultural Usiminas.
De forma lúdica, professores e alunos percorreram as principais etapas da produção do aço na usina. Para entender como nascem os produtos que fazem parte do seu dia a dia em diversas aplicações, os visitantes foram conduzidos pela atriz Raquel Vieira, que contou a verdadeira jornada do “Minério” e do “Carvão”. Os dois recursos minerais, que iniciam a fabricação do aço, ganharam vida como heróis em uma jornada que mostra o passo a passo dessa transformação.
A visita é totalmente interativa ao combinar o universo fantástico das histórias com a observação real das áreas, equipamentos e meio ambiente. Os estudantes iniciaram o trajeto pelos pátios de matérias-primas, passaram pelas áreas de redução, sinterização, altos-fornos, aciaria e chegaram às laminações e galvanização. O caminho revelou como nasce cada elemento até sua transformação final nos diversos produtos desenvolvidos pela Usiminas. “Eles recebem tudo como um presente, chegam cheios de curiosidade para saber como é dentro da usina. Essa é uma experiência única, em que buscamos traduzir a realidade tecnológica para o mundo deles. A história dá sentido a tudo”, descreve Raquel Vieira.
Além da produção, os alunos das escolas Santa Rita de Cássia – Sesi e Cantinho da Alegria, ambas de Ipatinga, tiveram a oportunidade de contemplar espaços naturais únicos, como a Lagoa da Anta. O roteiro terminou em uma oficina de pintura ministrada pela artista Rosane Dias. Os visitantes receberam uma tela para retratar o que foi visto durante a atividade, utilizando tintas à base de agregado siderúrgico, coproduto gerado na produção do aço.

Proximidade e educação
A presença da comunidade dentro da usina permite ampliar o conhecimento sobre o produto que inspira o nome da região, sua produção com seus segredos e curiosidades. “Essa iniciativa é mais uma oportunidade dentro do Xerimbabo para continuarmos contribuindo com a formação desses estudantes e promovendo a educação ambiental. Com as visitas, eles veem como a Usiminas desenvolve sua atividade de forma sustentável,” destaca o diretor da usina de Ipatinga, Roberto Maia.
A percepção dos estudantes mostra que a aventura foi vivida de forma ampla, como conta Sara Gonçalves Braga, de 13 anos. “Achei o máximo a visita. Fiquei impressionada com a parte da indústria, mas também gostei muito da natureza. Eu não imaginava que aqui dentro tinha tantas árvores e uma lagoa tão grande. Meu pai trabalha aqui e sempre contou sobre o trânsito organizado. Achei muito bacana como os carros sempre param para as pessoas atravessarem a faixa de pedestres.”
A professora Cássia Veiga, do 9º ano da Escola Santa Rita de Cássia, do Sesi em Ipatinga, trabalha com ciências e artes e aproveitou bem a visita. “Estamos trabalhando muito do que vimos aqui em sala de aula, foi muito rico o conteúdo. Essa foi uma forma muito importante da Usiminas interagir com a cidade”, pontua.

Novas visitas
O “Conhecendo a Usiminas” terá novas visitas mensais em abril, maio e junho, oferecidas gratuitamente para escolas por meio de agendamento prévio na Ação Educativa, pelo telefone (31) 3824-3731.
No dia 21 de março, acontecerá a segunda atividade do Xerimbabo, a “Aventura no Viveiro”, com visitas de alunos ao Viveiro de Mudas da Usiminas sob a mesma dinâmica. Por meio de contação de histórias, serão abordados temas como meio ambiente, preservação e sustentabilidade, além da relação da Usiminas com a cidade.