USIMINAS: RÔMEL MANTÉM DIÁLOGO COM LIDERANÇAS DO VA

Com foco no diálogo, o presidente da Usiminas visitou Ipatinga para uma rodada de encontros com lideranças locais. Rômel de Souza foi recebido pelo prefeito Sebastião Quintão, pelo presidente da Associação dos Metalúrgicos Aposentados e Pensionistas de Ipatinga (AAPI) Edízio Simplício, Luís Henrique Alves na Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços de Ipatinga (Aciapi), junto com o presidente da Câmara de Dirigente Logistas (CDL), Cláudio Zambaldi Oliveira, e fechou o dia em conversa com o presidente da Fiemg Regional Vale do Aço, Luciano Araújo.

Durante as conversas, Rômel reforçou o sentimento de parceria da Usiminas com a comunidade e traçou um panorama do mercado siderúrgico neste início de ano. Segundo o Instituto Aço Brasil, o consumo de aço deverá crescer de 3% a 5% em 2017. “Estamos abertos para o diálogo com a comunidade, que sempre foi parceira da Usiminas. É claro que os desafios do ambiente econômico continuam. Mas, embora a demanda ainda permaneça em níveis baixos, há um leve viés de melhora”, ressaltou.

Para o presidente da FIEMG – Vale do Aço, Luciano Araújo, a parceria entre a Usiminas e a entidade é muito importante porque gera valor para a comunidade. “Isso pode ser visto nos bons frutos dos treinamentos e serviços que prestamos para a região do Vale do Aço nos espaços cedidos pela empresa. “Além das iniciativas de controle de custos e despesas, seguimos com a estratégia de reforçar os diferenciais da Companhia, como pessoas, qualidade e tecnologia, que fizeram dela a maior produtora de aços planos da América Latina, com forte presença na comunidade”, completou Rômel.

O presidente da AAPI mostrou-se satisfeito com o encontro com a Usiminas. “Essa iniciativa do Rômel de vir nos visitar foi um presente. Mostra que a empresa quer continuar com essa parceria, o que nos motiva muito. O presidente Rômel é uma pessoa que começou a carreira aqui e sempre esteve conosco. Precisávamos mesmo desta maior aproximação entre Usiminas e Associação porque é bom para todos. Nós da Associação somos e sempre seremos Usiminas”, afirmou Simplício.

Rômel também reiterou às lideranças locais a importância de a Usiminas ter se adaptado com velocidade às crises do mercado do aço. A empresa saiu na frente em todas as ações de readequação da oferta à demanda. Nos dois últimos anos, um dos três altos-fornos em Ipatinga foi paralisado temporariamente e a Usina de Cubatão teve todas suas áreas primárias (coqueria, sinterização, altos-fornos e aciaria) também descontinuadas. “Tivemos que ajustar o tamanho da empresa ao tamanho do mercado. Foram ações fundamentais para a sustentabilidade da Usiminas. Nada que era para ser feito deixou de ser feito”, afirmou o presidente.

Para o prefeito Sebastião Quintão, a Usiminas é uma empresa que sempre teve uma atuação muito forte junto à comunidade. “Vi recentemente mais um exemplo disso com o programa Caminhos do Vale, mais uma forma de reafirmar sua preocupação com a comunidade. Nossa administração sempre estará de portas abertas para a Usiminas e confio que a empresa irá superar estes desafios por que passa atualmente”, disse.

Já o presidente Luís Henrique Alves, da Aciapi, afirmou que a Usiminas sempre foi a mola de desenvolvimento da região. “Queremos somos nesse processo, estamos à disposição para sermos vetores de projetos da empresa neste sentido. Sempre tivemos portas abertas e nossa proximidade acontece no dia a dia. Quanto ao momento econômico, não podemos perder a confiança que temos a capacidade de superar os desafios”, afirmou.

Inovação

Outro ponto estratégico destacado pelo presidente é que a Usiminas já está colhendo os frutos de um novo ciclo de produtos. Depois de investir em uma nova linha de galvanização, em uma tecnologia de resfriamento acelerado de chapas grossas e em outras melhorias na linha de produção, novos aços desenvolvidos pela usina já estão ganhando o mercado.

Entre os aços inovadores produzidos pela Usiminas, destacam-se os de altíssima resistência para o setor automotivo. Este mercado tem demandado muito o desenvolvimento de soluções que tornem os veículos mais leves e, consequentemente, mais econômicos, por exigirem menor consumo de combustível, mas que sejam ainda mais resistentes e seguros.

Atenta a essa necessidade, a Usiminas criou o Dual Phase 1200, aço de maior resistência mecânica já produzido no Brasil para a indústria automobilística. A companhia é a única siderúrgica apta a fornecê-lo no país e já teve o produto homologado por duas montadoras, que começam a recebê-lo a partir do lançamento de novos modelos, ainda neste primeiro semestre.

“Em tempos tão desafiadores para a indústria siderúrgica, a diferenciação tecnológica é um fator crítico para que a empresa faça frente à concorrência, principalmente de materiais importados. Temos uma equipe capacitada em todas as nossas unidades e, especialmente no Vale do Aço dispomos do maior Centro de Pesquisa em aço da América Latina”, resume o presidente Rômel.

Responsabilidade social

Rômel ainda reiterou a importância da responsabilidade social, manifesto principalmente pela atuação da Fundação São Francisco Xavier e do Instituto Cultural Usiminas. “Continuaremos a contribuir, naquilo que nos for possível, para o desenvolvimento das comunidades onde estamos inseridos. A despeito de toda a crise econômica do País, temos mantido nossa atuação social e compromisso com o desenvolvimento sustentável, finalizou. “A Usiminas sempre teve forte atuação social em nossa cidade, principalmente por meio da Fundação São Francisco Xavier, que sempre nos apoia em nossos projetos. O que precisamos é fortalecer cada vez mais essa parceria de longa data, pois, mesmo estando aposentados, nós nunca perdemos e nem queremos perder esse vínculo importante com a Usiminas”, completou Edízio Simplício, da AAPI.