USIMINAS E A FORÇA DE SUA HISTÓRIA

Em cerimônias simples e tocantes, siderúrgica homenageou empregados que completaram 10, 20, 30 e 40 anos de empresa

Para escrever uma história sólida de seis décadas e manter-se consistentemente, durante toda a trajetória, como líder em seu segmento no país, uma empresa precisa de alicerces. No ano em que comemora 60 anos de fundação e 54 de operação, a Usiminas mais uma vez destaca seus empregados como a sua principal força, que sustentam a empresa há tanto tempo no topo do setor de aços planos no Brasil. Nos dias 8 e 9 de novembro, o Centro Cultural Usiminas foi palco de homenagens a 460 empregados da Usiminas, Usiminas Mecânica e Unigal que completaram décadas de dedicação à companhia em 2016.

Nas cerimônias de reconhecimento, a história construída pelos colaboradores da empresa recebeu uma narrativa diferente, com simplicidade, mas muita sensibilidade. As performances do grupo Casa Laboratório e da Orquestra de Câmara do Vale do Aço – iniciativas que são patrocinadas pela Usiminas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais – abordaram a jornada de todos os empregados a partir de uma metáfora sobre o ciclo de florescimento de um jardim.

Segundo o presidente da Usiminas, Rômel Erwin de Souza, as homenagens são uma oportunidade de reconhecer publicamente a importância de cada funcionário na construção da companhia. “Podemos comparar nosso trabalho ao de um jardineiro, que precisa se empenhar diariamente, cultivar o solo, gostar genuinamente do seu ofício e ter orgulho do que faz. Afinal, o jardim só é bonito e tem valor se for bem cuidado. Não é diferente na Usiminas”, afirmou o executivo.

Na platéia do Centro Cultural Usiminas, familiares e gestores dos homenageados acompanharam momentos emocionantes. A analista de RH Sônia de Lourdes Cupertino Malheiros e seu marido, o técnico de automação César Henrique de Meneses Malheiros, comemoraram juntos 30 anos na Usiminas. “A empresa tem sido uma escola com grandes mestres. Desenvolvi-me humana e profissionalmente, e a grande conquista da minha vida também teve início aqui. Na fila para o almoço, conheci meu esposo, com quem estou casada há 27 anos. Juntos, chegamos a três décadas na empresa”, celebrou Sônia.

Os laços familiares, muitas vezes, se confundem com os profissionais. Rodrigo Soares Silva, técnico de processos da Usiminas, que completou 20 anos na empresa, é neto, filho e sobrinho de empregados da empresa. “Minha história continua a trajetória de minha família, que começou quando meu avô veio para Ipatinga na década de 1950. Ele ajudou a construir a usina e se aposentou aqui. A Usiminas representa nossa vida inteira, tudo que construímos e muitas das nossas conquistas”, afirmou Rodrigo.

As cerimônias também reforçaram o trabalho realizado pela empresa, por meio do Instituto Cultural Usiminas, no fomento à cultura nas comunidades em que está inserida. “É mais um apoio que recebemos da companhia, que patrocina nosso trabalho por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e ajuda a desenvolver pessoas pela música”, garantiu Vinícius Saturnino Chaves, maestro da Orquestra de Câmara do Vale do Aço e empregado da Usiminas, que participou da solenidade e conduziu a narrativa musical do evento.

Tradição

As homenagens aos empregados que completam 10, 20, 30 ou 40 anos de Usiminas já são eventos tradicionais e têm como objetivo reconhecer a relevante parceria entre a empresa e seus colaboradores. Ao todo, a Usiminas possui 14 mil empregados e, deste total, cerca de 800 – considerando também os colaboradores das demais unidades – serão homenageados nos eventos ao longo do mês.