TECNOLOGIAS NOS ENSINOS PRESENCIAL E VIRTUAL

Que as relações sociais se tornaram desafiadoras com as determinações de isolamento social ninguém pode negar. Entre educadores e estudantes, a relação ensino-aprendizagem precisou se adaptar às plataformas virtuais de comunicação. Atento ao contexto, o Instituto Usiminas adequou o Programa de Formação de Professores e Arte-Educadores para o virtual e, em novo formato, trouxe a temática “O que pode ser uma aula: o uso de tecnologias para encontros presenciais e à Distância”. A atividade encerrou na última quinta-feira (10/9) e integra a programação da Ação Educativa do Instituto Usiminas, que tem o patrocínio da Usiminas por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Segundo a diretora do Instituto Usiminas, Penélope Portugal, o curso é mais uma iniciativa de formação complementar para professores e arte-educadores, que tem a Ação Educativa do Instituto Usiminas como suporte e referência para o ensino. “Entendemos a cultura como construção de conhecimento e valorização de saberes. A temática abordada neste curso, além de ser oportunidade de aperfeiçoamento do processo de ensino a distância, faz uma interlocução da arte com a educação e contribui para a formação dos estudantes”, declara.

Realizado virtualmente, o curso foi ministrado pela pesquisadora, educadora e curadora Valquíria Prates (SP) e contou com dois encontros, em uma carga horária total de seis horas. A primeira etapa do curso foi no dia 27 de agosto.

A proposta foi levar aos participantes conteúdos educativos e diferentes ideias que existem sobre tecnologia, apresentando ferramentas para desenvolvimento e realização de aulas presenciais e à distância por meio de estudos de caso. “O ponto de partida foram reflexões sobre ‘o que é uma aula?’. Com diversas definições, uma aula vai muito além de apenas transmitir conteúdo. O que torna a interação entre aluno e professor enriquecedora é a construção do conhecimento em conjunto. Para isso, é  preciso considerar e enfrentar desafios que existiam também nas aulas presenciais, antes da pandemia”, explica Valquíria Prates.

Vivência
Surpreendido pela necessidade de dar sequência às aulas do curso de Comunicação Social/Jornalismo e Publicidade, apenas dois dias depois do início do isolamento social, o professor universitário Willian Trevisani conheceu a sala de aula virtual por meio dos treinamentos oferecidos pela instituição de ensino que trabalha. O educador confessa que foi necessária muita criatividade para as atividades propostas para o semestre, dentro do contexto vivido.

“O olho no olho nos faz muita falta. Saber se, de fato, estamos suprindo a necessidade de aprendizagem do aluno ainda é o grande desafio. O curso do Instituto Usiminas proporcionou a troca de experiências com colegas e redescobrir tecnologias que sempre utilizamos em uma aula presencial, como a conversa. E como a conversa era eficaz presencialmente? Como ela pode acontecer e enriquecer o ensino no ambiente virtual? Sigo com essas reflexões para aperfeiçoar minha experiência durante as aulas”, revela Trevisani.

Próximo curso
O Programa de Formação de Professores e Arte-Educadores promove ainda neste mês o curso “Educação em projetos integrados: uma jornada pelas histórias do aço”, ministrado ela storyteller Raquel Vieira (MG). Os encontros serão também virtuais nos dias 24/9 e 1º/10. As Inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail acaoeducativa@usiminas.com