SINDIVEST DEBATE INDÚSTRIA DA MODA E PROPRIEDADE INTELECTUAL

A indústria da moda tem ganhado relevância no cenário econômico e social brasileiro, tornando a cada vez mais atrativa e competitiva. Proporcionalmente à essa relevância, vem crescendo o número de cópias de desenhos industriais e violação de direitos autorais. Baseado nessa realidade e visando orientar empresários e profissionais de áreas ligada à moda, no que tange a criação de coleção e propriedade intelectual, o Sindicato das Indústrias do Vestuário – Sindivest/MG Delegacia Vale do Aço, por meio do Programa de Competitividade Industrial Regional – PCIR, em parceria com o SEBRAE, promoveu no dia 22/08, na sede da FIEMG, em Ipatinga, o III Encontro da Cadeia Produtiva do Negócio da Moda.

“A cada encontro o número de participantes vem aumentando, o que nos motiva a dar continuidade nesse trabalho tão valoroso para o mercado da moda do Vale do Aço, fortalecendo nosso setor por meio do associativismo”, pontuou a vice delegada do Sindivest/MG – Delegacia Vale do Aço, Cleidinéia Aredes Morais.

Flaviano Gaggiato, presidente da FIEMG, prestigiou o evento e reforçou a importância da união do setor. “O Sindivest está a disposição de vocês, usufruam e tragam demandas que contribuam para o desenvolvimento e aumento da competitividade e sustentabilidade das nossas indústrias”, disse Gaggiato.

De acordo com Ana Luísa Dias, advogada empresarial, no Brasil diversas proteções são oferecidas com relação a propriedade industrial. “Tanto pela Lei N°9279/96 quanto pela Constituição Federal, patentes, desenho industrial e marcas podem e devem ser aplicadas na medida do possível em cada caso específico”.

“A palavra de ordem é originalidade como diferencial competitivo. Essa teoria de que nada se cria, tudo se copia está sendo cada vez mais penalizada no mundo da moda. Estilistas, designers e empresários têm que estar atentos a cópia e inspiração. Existem várias ações desde 2008 referente a concorrência desleal. As pessoas têm corrido mais atrás dos seus direitos”, justificou.

Para abordar “Como desenvolver uma coleção”, a designer de moda, Cintia Lopes, destacou que uma pesquisa bem fundamentada e um bom planejamento são primordiais para o desenvolvimento do produto.  “Está nas mãos do designer criar um repertório de referências para facilitar o seu processo criativo e garantir maior assertividade de vendas”, explicou.

A designer orientou também quanto a importância da fidelidade nos processos. “Independentemente de ser um calçado, bijuteria ou roupa, cada processo interrompido gera prejuízos e retrabalho às empresas. É importante que o processo de criação trabalhe de forma integrada às áreas de gestão administrativa-financeira, gestão de produção, gestão de pessoas e comercial da empresa com foco em resultados positivos”, concluiu.