PRESIDENTE DA USIMINAS PARTICIPA DE CONGRESSO INTERNACIONAL

O presidente da Usiminas, Sergio Leite, foi quem abriu, ontem, os trabalhos da 60ª edição do Congresso da Associação Latino-americana do Aço (Alacero) que acontece até quinta-feira (14/11), em Buenos Aires, na Argentina. Leite, que também é presidente do Conselho de Administração do Instituto Aço Brasil, foi o mediador do primeiro painel do dia “A indústria siderúrgica global e seus insumos”. O painel reuniu Edwin Basson, diretor geral e membro do Comitê Executivo da World Steel Association e Paul Butterworth, responsável geral pela análise de mercados de matérias-primas do aço na consultoria internacional CRU. Antes do debate, Leite apresentou o cenário atual do mercado siderúrgico mundial, marcado pelo excesso de capacidade, e as perspectivas do setor diante de um contexto de crescimento do protecionismo, turbulências econômicas e maior pressão em temas como mudanças climáticas e sustentabilidade.

“A indústria do aço da América Latina tem desafios importantes pela frente. Estamos vendo um movimento de redução do comércio mundial em função do aumento de barreiras por diversos países e uma grande volatilidade nos preços dos nossos principais insumos, o que leva a uma redução das margens do negócio. Nesse cenário, o debate é extremamente importante para buscarmos soluções para enfrentarmos esses obstáculos comuns”, avalia o executivo.

Além da participação de Leite, a Usiminas também apresentará os programas “Mobiliza pelos Caminhos do Vale” e “ Mobiliza Todos pela Água”, que têm conquistado resultados relevantes na melhoria da qualidade de vida das comunidades em diversas cidades da região do Vale do Aço e leste de Minas Gerais.

Durante o evento, os participantes poderão conhecer no estante da Usiminas as Usinas de Ipatinga e Cubatão por meio de um tour virtual, utilizando óculos de realidade aumentada e de maquetes virtuais em três dimensões.

O congresso anual da Alacero acontece desde 1959 com o objetivo de debater temas atuais, para que as empresas produtoras de aço e sua cadeia de valor estejam preparadas para responder não só às necessidades do mercado, como também, contribuir para o crescimento industrial e socioeconômico da região. Com uma média de 800 participantes, o evento oferece atualização sobre os temas do momento e proporciona um espaço de networking reforçando os laços na cadeia produtiva e gerando debates sobre os temas que impactam o setor.