PRESIDENTE DA TERNIUM FALA SOBRE USIMINAS

Aciapi e CDL de Ipatinga recebem o presidente da Ternium no Brasil, acionista da Usiminas

A Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços de Ipatinga (Aciapi) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Ipatinga receberam na manhã desta terça-feira o executivo Paolo Bassetti, presidente do grupo ítalo-argentino Ternium no Brasil, um dos sócios controladores da siderúrgica Usiminas. Na ocasião, também estavam presentes os diretores das entidades, o conselheiro da Usiminas Luiz Carlos Miranda, empresários e autoridades.

E o simpático italiano emocionou os presentes com uma história que remonta ao ano de 1985, quando o então presidente da Usiminas, Rinaldo Campos Soares, começou a vender aço para a argentina Ternium, e enviou, durante um certo tempo, funcionários da siderúrgica mineira aptos a repassar tecnologia e prática aos vizinhos. “a Ternium é também filha da Usiminas”, afirmou.

Paolo Bassetti apresentou para os presentes o grupo Ternium, hoje a companhia mais rentável no mundo em aço e que chegou a Minas em 2011 ao comprar as participações da Camargo Corrêa e da Votorantim na Usiminas, na qual tem como sócia a japonesa Nippon Steel. O executivo esclareceu ainda que, então, a Usiminas não estava focada apenas em seu negócio de produzir aço: construía prédio em São Paulo, etc… “Atuamos na área de siderurgia em diversos países da América Latina, Europa e Ásia. Estamos presentes em 19 países e em cada um deles temos um objetivo. O Brasil é muito competitivo e essa característica foi determinante para o nosso investimento no país. Estamos preocupados em manter a relação com a comunidade, porque acreditamos que não podemos esquecer aqueles que fazem parte do entorno da Usiminas – município e população”, ponderou Bassetti. E defendeu a presença de Sérgio Leite na presidência da Usiminas: ” Sérgio foi treinado por Rinaldo Campos Soares, é um representante de casa que sabe tudo sobre comércio, foi vice-presidente e falava com a comunidade. Precisamos inegrar a Usiminas ao mundo competitivo do aço”, argumentou. E continuou: “Fechar Cubatão como fizeram foi um erro terrível”.

Para o presidente da Aciapi, Luís Henrique Alves, a associação comercial sempre esteve nas principais discussões que envolvem Ipatinga. “Nossa preocupação é o desenvolvimento da cidade. Nosso anseio é a retomada do crescimento da nossa economia. O comércio precisa melhorar e, direta ou indiretamente, sabemos que a Usiminas influencia nessa evolução. Acreditamos que podemos avançar e contribuir com outros investimentos para a região”, disse.

Já o presidente da CDL de Ipatinga, Cláudio Zambaldi, lembrou a importância da siderurgia para Ipatinga e, principalmente, para o comércio local. “No passado os trabalhadores da Usiminas abasteciam a compra e venda do nosso comércio. Sabemos que o tempo é outro, mas também temos a consciência que podemos melhorar. Por isso, as portas das entidades estão sempre abertas para aqueles que querem o desenvolvimento da nossa cidade, assim como nós”, avaliou.

Na ocasião, o conselheiro da Usiminas, Luiz Carlos Miranda, explicou que a siderúrgica possui 11 conselheiros e ele é o que representa a usina. “Como conselheiro, tenho a responsabilidade de prestar contas para os trabalhadores e aposentados, além da nossa sociedade. Precisamos estar aliados a todos os acionistas para conquistarmos o nosso objetivo de crescimento”, afirmou.

Durante o encontro na sede das entidades, Paolo Bassetti garantiu que o grupo ítalo-argentino não venderá os ativos da Usiminas e que a compra recente da CSA, siderúrgica localizada no Rio de Janeiro, é uma comprovação de que o grupo acredita no país. O presidente da Ternium no Brasil também respondeu perguntas dos diretores e empresários associados da Aciapi e CDL de Ipatinga.