PÉROLA NEGRA: FABRICIANENSE REALIZA PROJETO NACIONAL

O fabricianense Breno Lira Gomes, filho de Margarida e Tié, há muito se mudou para o Rio, onde se dedica à cultura e às artes através de sua produtora BLG Entretenimento. Agora, em parceria coom a Singularte Produções, da carioca Mariana Sobreira, ele acaba de lançar no CCBB a mostra Pérola Negra: Ruth de Souza. No lançamento, a presença da homenageada, com 95 anos de idade, emocionou os presentes.

A Mostra acontece desde o dia 24 de agosto e vai até 12 de setembro no CCBB Rio. Ela já passou pelo CCBB Brasília, de 3 a 29 de agosto, e estará no CCBB São Paulo de 16 a 28 de novembro. A abertura da mostra carioca, no dia 24, foi exibido o clássico da Vera Cruz, Sinhá Moça, pela qual a atriz concorreu ao Leão de Ouro de Veneza de melhor atriz.

O projeto Pérola Negra busca a valorização de personalidades afro-descentes que marcaram a cultura e a história brasileira no século XX e começo do XXI. Para a primeira edição a escolha recaiu sobre Ruth de Souza, que iniciou a carreira no Teatro Experimental do Negro, e se tornou referência para os atores negros. Primeira atriz negra a encenar um espetáculo no Theatro Municipal do Rio de Janeiro (O Imperador Jones, de 1945), a protagonizar uma novela (A Cabana de Pai Tomás, de 1969) e a ser indicada para um prêmio internacional de cinema (o Leão de Ouro por sua atuação no filme Sinhá Moça, de 1953), a atriz abriu caminhos, lutou contra a discriminação e inseriu seu nome na galeria dos grandes atores de todos os tempos no País.

Com curadoria e idealização de Breno Lira Gomes, a mostra Pérola Negra: Ruth de Souza exibe 25 produções, dentre cinema e televisão. Entre os destaques da programação estão: Falta alguém no Manicômio, primeiro trabalho de Ruth de Souza no cinema, (o filme tem Oscarito no elenco); Também Somos Irmãos, primeiro longa com o amigo Grande Otelo; O Mistério da Ilha de Vênus/Macumba Love, produção norte-americana de terror;- Caso verdade: Quarto de Despejo, adaptação para a televisão da obra da Carolina Maria de Jesus; até sua recente participação como entrevistada no programa Espelho, apresentado por Lázaro Ramos; passando pelo longa Sinhá Moça que lhe rendeu fama internacional; o sucesso brasileiro Assalto ao trem pagador, e chegando ao seu recente trabalho no cinema: Filhas do vento, pelo qual ganhou com Léa Garcia o prêmio de melhor atriz do Festival de Gramado.

Ruth de Souza, hoje com 95 anos e quase 70 anos de carreira, é pioneira na conquista por espaços nos palcos do teatro e nas telas do cinema para os atores negros. Toda uma nova geração de novos atores negros, como Lázaro Ramos, Camila Pitanga, Fabrício Boliveira, reconhecem a importância da atriz na consolidação da sua relevância para a cultural nacional. A possibilidade de termos hoje atores negros como protagonistas de peças de teatros, filmes e produções de TV se deve, em parte, às conquistas da homenageada neste processo de transformação.

A Mostra também teve uma programação de debates e encontros programados. Ontem, a atriz Léa Garcia e o cineasta Zoel Zito Araújo, com a mediação do pesquisador Hermes Frederico, participaram do debate “Ruth de Souza: vida e obra. No sábado, dia 10 de setembro, às 15h, a pesquisadora Silvia Oroz irá ministrar a masterclass “O negro no cinema brasileiro”, no Cinema 1. Os debates tem entrada franca, com distribuição limitada de senhas uma hora antes do início. As vagas são limitadas.

As fotos são de Robson Oliveira.

Sobre a Ruth
Ruth de Souza se interessou pela arte de atuar muito cedo, quando frequentava récitas no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Quando descobre o Teatro Experimental do Negro, grupo liderado por Abdias do Nascimento, se junta a eles e estreia em 8 de maio de 1945 no palco do Municipal o espetáculo O Imperador Jones, de Eugene O’Neill. Desacreditada no começo, já que atores negros não conseguiam bons papéis no teatro e no cinema, Ruth de Souza quebrou barreiras e abriu caminho para muitos que vieram depois dela.
Estudou teatro nos Estados Unidos durante um ano e quando voltou fez sua estreia no cinema com o filme TERRA VIOLENTA, adaptação de Terras do sem fim, de Jorge Amado que a indicou para o papel. A partir daí não parou mais e sua carreira se concentrou no cinema. Trabalhou nas três companhias cinematográficas da época: Atlântida, Maristela e Vera Cruz. Com o amigo de toda vida, Grande Otelo, fez TAMBÉM SOMOS IRMÃOS, produção da Atlântida. Mas é na Vera Cruz que Ruth de Souza vê sua estrela brilhar. Atriz contratada da Companhia, participa de CANDINHO, ÂNGELA, TERRA É SEMPRE TERRA e SINHÁ MOÇA. Por esse último torna-se a primeira atriz brasileira a receber uma indicação em um festival de cinema internacional: o Leão de Ouro do Festival de Veneza, em 1954.
No cinema foram mais de 30 filmes. Entre eles ASSALTO AO TREM PAGADOR, RAVINA, FRONTEIRAS DO INFERNO, JUBIABÁ e FILHAS DO VENTO, seu último trabalho no cinema.
O projeto PÉROLA NEGRA pretende acontecer de dois em dois anos. A ideia é a cada edição homenagear um ator, atriz ou cineasta negro com uma retrospectiva dos seus trabalhos. E para a primeira edição nada mais justo que a homenageada seja a pioneira Ruth de Souza, que em 2015 comemorou 70 anos de carreira. A curadoria é do jornalista e produtor Breno Lira Gomes.
A mostra PÉROLA NEGRA: RUTH DE SOUZA exibirá os s seguintes filmes e programas de televisão:
Falta Alguém no Manicômio (J. C. Burle) – 90 min
Também Somos Irmãos (J. C. Burle) – 85 min
Ângela (Tom Payne) – 90 min
Terra é Sempre Terra (Tom Payne) – 95 min
Sinhá Moça (Tom Payne) – 120 min
Candinho (Abílio Pereira de Almeida) – 95 min
Quem Matou Anabela? (D. A. Hamza) – 95 min
Bruma Seca (Mario Civelli) – 87 min
A Morte Comanda o Cangaço (Carlos Coimbra) – 108 min
O Assalto ao Trem Pagador (R. Farias) – 102 min
Filhas do Vento (Joel Zito Araújo) – 85 min
Pureza Proibida (Alfredo Sternheim) – 104 min Osso, Amor e Papagaio (Cesar Memolo e Carlos A. de Souza) – 102 min
Ana, a Libertina (Alberto Salvá) – 89 min
Favela (Armando Bo) – 90 min Macumba Love / O mistério da ilha de Vênus (Douglas Fowley) – 86 min
Ladrões de Cinema (F. Coni Campos) – 127 min
Jubiabá (Nelson Pereira dos Santos) – 107 min
A negação do Brasil (Joel Zito Araújo) – 95 min
Abdias, um brasileiro do mundo (Aída Marques) – 95 min
Damas da TV – Ruth de Souza (Hermes Frederico) – 21 min Espelho apresentado por Lázaro Ramos – 27 min Heróis de todo mundo – Episódio Carolina de Jesus – 2 min Favela – A vida na pobreza (Christa Gottman-Elter) – 19 min Caso Verdade – Quarto de despejo – 100 min

Sobre Breno Lira Gomes – idealizador e curador
Jornalista e produtor cultural, com passagens pelo curso de cinema da UNESA, pelo Ponto Cine e pela Mostra Geração do Festival do Rio. É curador do festival Curta Cabo Frio. Assinou a curadoria e coordenação geral das mostras El Deseo – O apaixonante cinema de Pedro Almodóvar; Cacá Diegues – Cineasta do Brasil; A luz (imagem) de Walter Carvalho e Simplesmente Nelson, O maior ator do Brasil – 100 anos de Grande Othelo, todas realizadas na Caixa Cultural. É produtor executivo da mostra Os Melhores Filmes do Ano ACCRJ desde 2010. Foi produtor executivo das mostras Dario Argento e seu mundo de horror, James Dean – Eternamente jovem, Irmãos Coen – Duas mentes brilhantes, Filmes à Mesa, Claudio Pazienza – O encontro que nos move, Neville D’Almeida – Cronista da beleza e do caos, Cine Doc Fr – Mostra de Cinema Documentário Francês Contemporâneo, Carlos Reichenbach – O cinema de autor brasileiro, George A. Romero – A crônica social dos mortos vivos, Luís Buñuel – Vida e obra, Cine Uruguai, O Cinema de Murilo Salles e do curso Questão de Crítica. Coordenou a produção das mostras John Waters – O papa do trash, Jornada nas Estrelas: Brasil – A fronteira final, David Lynch – O lado sombrio da alma, Cine Literário e do Curso de Crítica Cinematográfica com Mario Abbade. Além de fazer a produção local das mostras Retrospectiva Carlos Hugo Christensen e Jean-Luc Cinema Godard.

“O que sempre me moveu foi a paixão pelo cinema, pelo teatro, além de muita força de vontade e determinação.”
Ruth de Souza

Serviço:
Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro
Rua Primeiro de Março, 66, Centro
24 de agosto a 12 de setembro
Cinema I
Funcionamento da bilheteria: de 4ª a 2ª, de 9h às 21h.
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia entrada).
*alguns sessões são gratuitas (assinaladas na programação abaixo)
Telefone CCBB: 3808-2020

03 de setembro, sábado
Cinema 1 – 16h – Pureza Proibida – 104 min
Cinema 2 – 17h – Macumba Love / O Mistério na Ilha de Vênus – 86 min
Cinema 1 – 18h – Ladrões de Cinema – 127 min

04 de setembro, domingo
Cinema 1 – 14h – Falta Alguém no Manicômio – 90 min
Cinema 1 – 16h – Osso, Amor e Papagaio – 102 min
Cinema 1 – 18h – Candinho – 95 min
05 de setembro, segunda-feira
Cinema 2 – 17h – Abdias, um brasileiro do mundo – 95 min
Cinema 1 – 19h – Filhas do Vento – 85 min
07 de setembro, quarta-feira
Cinema 1 – 16h – O Assalto ao Trem Pagador – 102 min
Cinema 2 – 17h – Ana, a Libertina – 89 min
Cinema 1 – 18h – Pureza Proibida – 104 min
08 de setembro, quinta-feira
Cinema 2 – 17h – A negação do Brasil – 95 min
Cinema 1 – 19h – Favela – 90 min

09 de setembro, sexta-feira
Cinema 2 – 17h – Quem Matou Anabela? – 95 min
Cinema 1 – 19h – Macumba Love / O Mistério na Ilha de Vênus – 86 min
10 de setembro, sábado
ENTRADA FRANCA Cinema 1 – 15h – máster class O negro no cinema brasileiro
Cinema 1 – 17h – Favela – 90 min
Cinema 2 – 18h – Terra é Sempre Terra – 95 min
Cinema 1 – 19h – Ângela – 90 min
11 de setembro, domingo
Cinema 1 – 16h – Também Somos Irmãos – 85 min
Cinema 2 – 17h – Bruma Seca – 87 min
Cinema 1 – 18h – Jubiabá – 107 min
12 de de setembro, segunda-feira
Cinema 2 – 17h – A Morte Comanda o Cangaço – 108 min
Cinema 1 – 19h – Ladrões de Cinema – 127 min
Filmes e programas de televisão na mostra:
Filmes
Falta Alguém no Manicômio – Comédia Romântica. André e Maria Luisa apaixonam-se numa viagem de navio para o Rio de Janeiro. André oferece sua casa para hospedá-la, porém a moçoila polidamente recusa. Na casa de André há vários parentes um tanto quanto… Psicóticos. Sem um lugar para ficar, Maria Luisa arrepende-se e lança mão do contato do rapaz, aceitando enfim o convite dele. As confusões são inúmeras, com André e Maria Luisa quase sendo internados, porém o amor dos dois a tudo supera. Até a loucura. Direção: José Carlos Burle Elenco: Oscarito, Modesto de Souza, Vera Nunes, Sérgio de Oliveira, Ruth de Souza Ano de exibição: 1948 P&B – Beta SP – 90min
Também Somos Irmãos–Drama. Viúvo sem filhos decide adotar quatro crianças: duas brancas e duas negras. O tempo acaba criando conflitos inevitáveis para estes irmãos involuntários. Problemas racistas, inclusive, o que pode conduzir tudo a uma grande tragédia. Direção: J.C. Burle Elenco: Vera Nunes, Grande Otelo, Aguinaldo Camargo, Ruth De Souza Ano de exibição: 1949 Beta SP – P&B – 85min
Ângela – Premiado drama romântico baseado no conto “Sorte no Jogo”, de E.T.A. Hoffmann (o alemão Ernst Theodor Amadeus Wilhelm Hoffmann). Jogador inveterado arrebanha uma propriedade no carteado e acaba apaixonando-se pela filha do antigo proprietário (a Ângela do título). O problema é abandonar sua outra paixão: o jogo. Direção: Tom Payne e Abílio Pereira de Almeida Elenco: Eliane Lage, Alberto Ruschel, Inezita Barroso, Mário Sérgio, Ruth de Souza Ano de exibição: 1951 Beta SP – P&B – 90min
Terra é Sempre Terra – Drama baseado na peça Paiol Velho, de Abílio Pereira de Almeida (também autor do roteiro). Conta a história de Tonico, um capataz a desprezar sua esposa mais jovem. Durante um jogo de cartas Tonico terá a oportunidade de ganhar a própria fazenda em que trabalha. Direção: Tom Payne Elenco: Marisa Prado, Abílio Pereira de Almeida (Tonico), Mário Sérgio, Ruth de Souza Ano de exibição: 1951 Beta SP – DVD – 95min
Sinhá Moça – Drama escravista baseado no romance homônimo de Maria Dezonne Pacheco Fernandes. Virou telenovela duas vezes (1986 e 2006). De um tempo em que a Cia de cinema Vera Cruz, em nada ficava a dever para as grandes produtoras mundiais. A abolicionista conhecida como Sinhá Moça regressa às terras de seu pai, o poderoso Coronel Ferreira, depois de completar seus estudos na capital (São Paulo). Ela conhece Rodolfo Fontes e à beira de enamorar-se, tem uma grande decepção: seu amor simpatiza com ideais escravocratas. Contudo o ano é 1888. A escravidão está findando… Direção: Tom Payne Elenco: Eliane Lage, Anselmo Duarte, Ruth de Souza, Abílio Pereira de Almeida, Renato Consorte, Eugênio Kusnet Ano de exibição: 1953 Beta Digital – P&B – 120min
Candinho – Comédia estrelada pelo célebre ‘Jeca’, Amácio Mazzaroppi. Baseada no conto Cândido, ou O Otimismo, de Voltaire. Em 1926, um bebê achado nas águas sujas de um riacho, é adotado por um rico coronel, até então sem filhos. O problema é que, ao ser pai de gêmeos o milionário relega Candinho à importância de simples empregado. 20 anos depois, já adulto, o rapaz tem um flerte com a filha do coronel e é expulso. Em suas andanças ele revê amigos, conhece outros e quem sabe reviverá o grande amor? Direção: Abílio Pereira de Almeida Elenco: Mazzaropi, Marisa Prado, Ruth de Souza, Adoniran Barbosa Ano de exibição: 1954 Beta Digital – P&B – 95min
Quem Matou Anabela? – Suspense policial com pitadas sutis de humor e final surpreendente. Uma bela bailarina, amada por homens e odiada pelas mulheres, é assassinada. Um comissário fica encarregado do caso e começa a entrevistar as pessoas ligadas à vítima. O problema é que de acordo com cada depoimento, Anabela parece se modificar e o mistério se adensa. Afinal, quem matou Anabela? Direção: D.A. Hamza Elenco: Procópio Ferreira, Carlos Zara, Ruth de Souza, Jayme Costa, Nydia Lícia Ano de exibição: 1956 DVD – P&B – 95min
Osso, Amor e Papagaios – Comédia adaptada do conto “A nova Califórnia” de Lima Barreto. Prefeito corrupto de uma pequena cidade decide dar uma festa comemorando o fato de que há dez anos, não morre ninguém por lá. O problema é que começa a morrer gente. E de causas naturais. O tumulto aumenta com a chegada do forasteiro misterioso Raimundo Flamel. Direção: Carlos Alberto de Souza Barros e César Memolo Elenco: Jaime Costa, Modesto de Souza, Wilson Grey, Ruth de Souza, Renato Consorte Ano de exibição: 1957 16mm – P&B – 102min
Macumba Love / O Mistério da ilha de Vênus – Terror. Coprodução Brasil-EUA (“Macumba Love” é o título original). O filme começa com uma espécie de apelo por escrito que diz: “A direção pede que os telespectadores façam 15 segundos de silêncio em respeito àqueles que morreram depois de assistir a este filme”. Um especialista em investigar falsos feiticeiros vem ao Brasil tratar com certo culto vodu. Surpresas e mortes o aguardam. Direção: Douglas Fowley Elenco: Cléa Simões, June Wilkinson, Pedro Paulo Hatheyer, Ruth de Souza Ano de exibição: 1960 DVD – Cor – 86min
Favela – Drama e música. Belíssima moradora da favela desce o morro (no tempo em que as favelas eram só localizadas no alto de morros) e vai tentar a vida artística no asfalto. Uma coprodução Brasil-Argentina. Direção: Armando Bo Elenco: Isabel Sarli, Jece Valadão, Ruth de Souza, Moacyr Deriquém Ano de exibição: 1961 35mm – P&B – 90min
Bruma Seca – Aventura. A bruma seca do título é isso mesmo. Uma pequena aldeia na região centro-oeste brasileira sofre de uma névoa de poeira devido à falta de chuvas, o que atrapalha o desemprenho de pequenas aeronaves. Um casal de turistas tem bastante interesse de chegar até uma mina de cristal, mas um grupo de garimpeiros se opõe. Direção: Mário Civelli e Mario Brasini Elenco: Luigi Picchi, Ruth de Souza, Mario Brasini, Adoniran Barbosa Ano de exibição: 1961 DVD – Cor – 87min
A Morte Comanda o Cangaço – Western da Caatinga. Nos sertões cearenses, pacato fazendeiro vive com a mãe quando vê suas terras sendo invadidas por um bando de cangaceiros. Negando-se a dar dinheiro aos criminosos, a mãe do rapaz é covardemente assassinada, tendo sua cabeça fincada no alto de um toco. Arrasado, o jovem finge-se de morto para em seguida buscar a devida vingança. Direção: Carlos Coimbra e Walter Guimarães Motta Elenco: Alberto Ruschel, Ruth de Souza, Aurora Duarte, Edson França Ano de exibição: 1960 DVD – Cor – 108min
O Assalto ao Trem Pagador – Premiadíssimo drama policial baseado em fatos. O bando de Tião Medonho se organiza para praticar o assalto em questão. Na verdade sob as ordens de um tal de Grilo. Apesar de o esquema funcionar a contento, com o tempo coisa toda dá errado e os menos favorecidos são os primeiros a se dar mal. Direção: Roberto Farias Elenco: Reginaldo Faria, Grande Otelo, Eliezer Gomes, Jorge Dória, Ruth de Souza Ano de exibição: 1962 35mm – P&B – 102min
Favela – A vida na pobreza ou Favela, Das Leben in Armut- Documentário alemão praticamente inédito no Brasil, descoberto pelo Instituto Moreira Salles, no interior da Alemanha. Carolina Maria de Jesus é convidada a encenar o que havia descrito em seu livro Quarto de Despejo. Somos assim conduzidos ao universo da escritora que catava papel, revirava as latas de lixo e fazia o que podia para enfrentar a pobreza e alimentar os filhos. Direção: Christa Gottmann-Elter Partícipe: Carolina Maria de Jesus Ano de produção: 1971 DVD – Cor – 19min
Pureza Proibida–A bela Rossana Ghessa protagoniza este drama baseado na peça A Branca e o Negro, de Monah Delacy, sobre uma noviça apaixonada por um afrodescendente praticante de cultos religiosos africanos. Direção: Alfredo Sternheim Elenco: Rossana Ghessa, Zózimo Bulbul, Carlo Mossy, Ruth de Souza, Monah Delacy Ano de exibição: 1974 35mm – Cor – 104min
Ana, a Libertina – Drama policial. Jovem assassinada tem o crime investigado por um ex-caso amoroso seu. Aparentemente o marido é culpado, porém uma confissão determinará uma drástica mudança de rumo nas investigações. Direção: Alberto Salvá Elenco: Marília Pêra, Daniel Filho, Edson França, José Wilker, Stênio Garcia, Ruth de Souza Ano de exibição: 1975 Bluray – Cor – 89min
Ladrões de Cinema – “Dramédia” e mais uma daquelas “declarações de amor ao cinema”. Durante o carnaval carioca, equipe cinematográfica tem seu equipamento roubado. Na favela, os ladrões resolvem filmar eles mesmos, algo sobre a Inconfidência Mineira, enquanto somente um membro do bando quer vender o butim e dividir o dinheiro. Direção: Fernando Coni Campos Elenco: Wilson Grey, Grande Otelo, Milton Gonçalves, Antonio Pitanga, Ruth de Souza Ano de exibição: 1977 35mm – Cor – 127min
Jubiabá – Drama romântico baseado em romance homônimo de Jorge Amado. Coprodução França-Brasil. Criado por um homem muito rico, garoto de origem muito pobre apaixona-se pela filha do ricaço. Vigiados pela empregada preconceituosa, o romance dos jovens é revelado. Espancado e expulso de casa, o garoto vira um verdadeiro malandro das ruas, porém seu amor jamais será esquecido. Direção: Nelson Pereira dos Santos Elenco: Grande Otelo, Catherine Rouvel, Betty Faria, Ruth de Souza, Françoise Goussard Ano de exibição: 1987 35mm – Cor – 107min
A negação do Brasil – Documentário baseado no livro A Negação do Brasil – o negro na telenovela brasileira, de Joel Zito Araújo, trazendo à baila, a luta dos atores negros brasileiros em busca de um lugar ao sol. Emocionantes depoimentos de grandes astros de nosso cinema. Direção: Joel Zito Araújo Partícipes: Milton Gonçalves, Ruth de Souza, Léa Garcia, Zezé Motta, Maria Ceiça. Ano de exibição: 2000 DVd – Cor/P&B – 95min
Filhas do Vento – Drama beirando o lirismo. O racismo atinge diretamente uma família numerosa de mulheres. Velhos fantasmas vêm à tona, aumentando ainda mais a atmosfera sutil e dramática. Direção: Joel Zito Araújo Elenco: Taís Araújo, Léa Garcia, Ruth de Souza, Milton Gonçalves, Thalma de Freitas Ano de exibição: 2005 DVD – Cor – 85min
Abdias, um brasileiro do mundo – Documentário. Nomes fundamentais da cultura brasileira passeiam, em debates, conversas e cenas, pela trajetória multifacetada de Abdias Nascimento, o homem que, aos 97 anos, morreu como um dos maiores nomes da causa negra no Brasil. Sua trajetória fez dele um fundador, um revolucionário, um monumento à luta política e, sobretudo, um artista. Direção: Aída Marques Partícipes: Abdias do Nascimento, Ruth de Souza, Léa Garcia, Zózimo Bulbul, Hilton Cobra, Haroldo Costa, MV Bill Ano de exibição: 2011 DVD – Cor – 95min
Programas de televisão
Caso Verdade: Quarto de despejo – Drama. Compilação de episódios da série de TV Caso Verdade, baseado no livro Quarto de Despejo, grande sucesso de Carolina Maria de Jesus e já levado ao cinema em 1971, na forma de documentário (V. Favela, A vida na pobreza). A história da autora, da miséria à riqueza e seu sucesso literário. Apresentação: Zé Capeta Com: Ruth de Souza Ano de exibição: 1983 DVD – Cor – 100min
Heróis de todo mundo: Carolina Maria de Jesus – Ruth de Souza – Com uma linguagem ficcional que mistura elementos documentais, cada interprograma desta série relata a vida de uma personalidade negra já falecida, ressaltando sua importância nos cenários cultural, histórico, político ou científico do Brasil. A biografia deste personagem ganha corpo através de encenação, feita por uma celebridade viva que tenha sido, de forma subjetiva, influenciada pela vida ou trabalho desta figura histórica. São postos em cena, portanto, dois heróis por episódio. O projeto é uma parceria entre Canal Futura, Cidan, Seppir, TV Globo, Fundação Roberto Marinho e Petrobras. O episódio a ser programado tem a atriz Ruth de Souza encenando a vida e obra de Carolina Maria de Jesus, catadora de papel que se tornou escritora publicada em mais de 15 idiomas. Direção: Luiz Antônio Pilar. Elenco: Ruth de Souza Ano de exibição: 2010 DVD – Cor/P&B – 2min
Damas da TV: Ruth de Souza – Programa idealizado por Hermes Frederico e veiculado no Canal a cabo Viva, que registrou o depoimento de 23 atrizes brasileiras, entre elas, Ruth de Souza. No referido episódio a atriz fala do começo da carreira no teatro, do sucesso no cinema e de suas participações nas telenovelas. Idealização: Hermes Frederico Partícipe: Ruth de Souza Ano de exibição: 2014 DVD – Cor/P&B – 21min
Espelho – Programa apresentado e dirigido pelo ator Lázaro Ramos. Nesse episódio, todo dedicado à atriz Ruth de Souza, o ator a visita em Laranjeiras para um papo sobre carreira, vida e lutas contra preconceito e racismo DVD – Cor – 27min. Direção: Lázaro Ramos Partícipes: Ruth de Souza e Lázaro Ramos Ano de exibição: 2011