OUTUBRO ROSA

Nesse mês comemora-se no mundo todo o Outubro Rosa, que é uma campanha de conscientização, nascida nos Estados Unidos na década de 1990, que tem como principal objetivo alertar a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Os números da doença no Brasil são assustadores. Segundo o Dr Alfredo Antônio Cardoso, responsável pelo setor de Oncologia da Unimed Vale do Aço, por ano 50 mil novos casos são diagnosticados no país. “O Outubro Rosa é uma data que não é para comemorar e sim para nos lembrar da importância do diagnóstico precoce dessa doença. É o tipo de câncer que mais mata mulheres no Brasil”, disse o oncologista.

Fazer o autoexame e realizar a mamografia são fatores essenciais para chegar ao diagnóstico precoce, assim as chances de cura aumentam significativamente. “Geralmente pede-se para fazer uma mamografia por ano, principalmente para as mulheres acima de 50 anos. Para as mulheres a partir de 40 anos vai de acordo com os fatores de risco. A paciente que tem histórico familiar deve ficar mais atenta, as chances de ter a doença são maiores”. Vale lembrar que o autoexame não substitui exames como mamografia, ultrassom, ressonância magnética e biópsia, que podem definir o tipo de câncer e a localização dele.

Para se ter ideia dessa importância do diagnóstico precoce, quando o câncer está nos estágios 1 e 2 a paciente tem entre 70% e 80% de chance de cura. No estágio 3 as chances caem para 30%, no 4 já não existe mais possibilidade. “Hoje dois terços das mulheres que chegam no SUS já estão no estágio 3 e 4, devido ao atraso no diagnóstico e a demora do início do tratamento. Na rede privada, dois terços das mulheres chegam no estágio 1 e 2 da doença, mas também não é uma boa estatística”, comentou o doutor.

O mês de outubro é quando se tem um enfoque maior em cima do câncer de mama, mas o importante é, na realidade, focar este sério assunto nos 12 meses do ano. “Câncer de mama é uma doença muito grave e que pode matar rápido. A prevenção do câncer de mama não é totalmente possível em função da multiplicidade de fatores relacionados ao surgimento da doença e ao fato de vários deles não serem modificáveis, mas fazendo os exames e descobrindo no início podemos salvar muitos pacientes”, finalizou.

 

Homens

O câncer de mama não é uma exclusividade das mulheres. Homens também podem ser diagnosticado com esse tipo de câncer, o número é pequeno, mas a gravidade é a mesma. “Dos 50 mil novos casos de câncer de mama por ano no Brasil, 1% dos diagnosticados são homens. Como não é possível fazer mamografia em homem, o diagnóstico é mais complicado. Quem perceber alguma alteração precisa procurar o médico”, explicou o Dr Alfredo.