O LUXO ESTÁ MUDANDO

A Conferência da Condé Nast em Cape Town, na África do Sul, pega fogo! O futuro do luxo sendo debatido num cenário de revolução tecnológica e demandas por um consumo mais sustentável e consciente, segundo relata a diretora do conglomerado para o Brasil, Daniela Falcão, em sua página no Instagram.

A Semana de Moda African Fashion International será o ápice dessa jornada, mas a grande sacada é incluir emoção, com alma e coração sendo somadas aos desenhos tecidos e recortes. Vestir-se passou a ser também um exercício de militância política, sabe como?

E vocês sabiam que a Gucci foi acusada de racismo por um suéter preto de gola alta da coleção outono-inverno de 2018? Ele causou um alvoroço nas mídias sociais, sendo chamada de “blackface’ por alguns internauras. O suéter de malha de US$ 900 (cerca de R$ 3.300), apresenta uma boca com grandes lábios vermelhos (veja em fotos, abaixo). Apesar de acreditar que estava liderando o esforço por mais diversidade na moda, deu um tiro no próprio pé. Então, mais que depressa, o que poderia ser uma catástrofe eles transformaram em trampolim para de fato ser uma empresa com foco na diversidade.

Na África, marcas com DNA na cultura local estão fazendo e acontecendo, e o mercado reagindo bem, recebendo o novo em versão globalizada. Afinal, os negros estão despontando como alta classe média  global, preparada para o consumo, mas exigem raízes fincadas na cultura ancestral. Marcas  como Okapi (bolsas e acessórios em couro, na capa deste post) e Nadir Tati, entre outras,  despontam como sinal de que, na moda, tudo está mudando. Pra melhor.

E já que moda e cultura e negócios, foi lançada na conferência uma ideia que promete reverter a pobreza no continente africano: o Baobá, chamada árvore da vida, aparece como solução para a fome: saboroso, o fruto combina com diversos sabores, E se houver uma demanda global para o produto como comida, haverá em torno de 1 bilhão de dólares para as comunidades rurais africanas. Bom, né?

E a frase “A liberdade de escolha é um direito de todos, mas só alguns a exercem com elegância”, que poderia muito bem ter sido dita por Coco Chanel, é a legenda que a estilista africana Nadir Tati fez para um dos posts em sua página (@nadirtati).

E já que diversidade é o cainho do luxo, a BMW está fazendo uma lista de interessado em, ao invés de comprar um carro da marca, usar vários, dependendo do fim específico!

É, o mundo é um moinho, triturando ideias e conceitos, e fazendo dessa mistura um novo tempero para uma vida melhor para todos.