O DECORATIVISMO COMO FORMA DE ESCONJURAR A CRISE

Crise? Que crise? É assim que o mundo da moda olha para o presente de tantas insurreições e enfeita a vida com preciosismos que vão desde o tecido – o veludo e o jacquard/brocado são os queridinhos da vez – até os calçados, exuberantes, mas confortáveis, passando pelos volumes e acessórios – as jóias deixam de ser delicadas e são explicitamente exageradas. Até as mangas atravessam as mãos e caem sobre o corpo, sem fim. Ninguém quer desfilar guerras internas de países que lutam contra o terrorismo, nem os milhões de refugiados que invadem a vida plena e serena do mundo tão bem arrumadinho de países como os EUA, o Canadá e a maioria dos países da Europa. A ordem é enfeitar-se ao máximo, mas com conforto, como eu disse. Enfeitar-s e sair para protestar, fazendo de conta que está todo mundo brincando de casinha. Vejam sobre o que estou falando: