MULHER PEDRA/MAR/CÉU/CHÃO

Ilusão passou longe. Deu adeus para nunca mais se instalar naquele coração que só queria acalmar-se das infelicidades de criança solitária. Mulher de mil ideias, ela fez-se chão- sempre fincando raízes – e céu –  apenas quando a lua era cheia e a hipnotizava. As histórias que contava pra si eram de príncipes reais, honestos, fiéis, bondosos e afetuosos, mas teve que jogá-los ao mar quando as pedras lhe sepultavam essas bobagens.

E a moça trançou os cabelos brancos em longas histórias contadas aos animaizinhos que se lhe rodeavam de carinho e amor, até que nada mais restou.

Fica aqui a minha homenagem a esta pessoa ímpar.