Alunas Centro de Referência em Dança Vale do Aço - Foto Rodrigo Zeferino

MANTENDO A CONEXÃO COM A DANÇA E A ARTE

Manter a conexão com a dança e com as artes de um modo geral foi essencial nesta pandemia. E foi isso que fez o Centro de Referência em Dança do Vale do Aço fez, para dar continuidade às aulas de ballet clássico, para cerca de 100 crianças e adolescentes, participantes do projeto, que teve início em fevereiro de 2020.

Patrocinado pela Usiminas, com apoio do Instituto Usiminas, via Lei Estadual de Incentivo à Cultura, desde a primeira edição, em 2007, o projeto já recebeu cerca de 1500 participantes, ao longo de 14 anos de atividades. Sua principal proposta é de inserir crianças e adolescentes no universo da dança e das artes, democratizando o acesso e contribuindo para formação de público para o setor.

Com o surgimento da pandemia as aulas presenciais foram interrompidas em março de 2020. “Ficamos muito apreensivos com tudo que estava acontecendo naquele momento”, destaca Salette Olguin, diretora artística e professora do projeto. “Como tudo era novo e desconhecido, um passo de cada vez, fomos aprendendo a conviver com essa nova realidade. Relutamos em optar pelas aulas remotas, mas chegamos à conclusão que era importante manter a conexão com a dança e a arte de um modo geral, neste momento tão delicado”, destaca Salette.

Nova realidade

O projeto fez uma pesquisa junto aos responsáveis pelas participantes e cerca de 80% concordaram com o formato on-line de aulas. Para surpresa de todos o desenvolvimento das alunas foi surpreendente.  O comprometimento e participação tanto das alunas, como de seus responsáveis, foi fundamental para isso, destaca Salette. E assim o projeto seguiu seu curso, adaptando-se à nova realidade.

Umas das grandes preocupações da equipe do Centro de Referência, sempre foi o bem-estar das participantes. “Fazer com que as aulas remotas dessem certo e conseguir acompanhar as alunas neste processo novo foi um desafio”, avalia a professora, coreógrafa e ensaiadora Larissa Olguin. Ela conta que eram vários equipamentos ligados nas aulas, computadores e celular, com os olhares atentos nas alunas,  tanto das professoras, como da assistente de palco Adauane Santana.

Aulas híbridas

Durante a realização das aulas, sempre que permitido pelos órgãos competentes e seguindo todos os protocolos de segurança necessários, foram realizados alguns momentos de aulas presenciais, com revezamento entre as participantes, obedecendo a capacidade da sala de aula e palco da Academia Olguin.

Previstas para acontecerem de fevereiro a novembro de 2020, as aulas foram estendidas até maio de 2021, em função das interrupções que aconteceram durante o processo. E o resultado das atividades desenvolvidas pode ser conferido no vídeo “Mantendo a Conexão”, disponível no canal do YouTube.com/academiaolguinballet, que contou com a participação de 50% das alunas do projeto e de cinco alunas da Academia Olguin Cariru.

 

Contatos: Salette Olguin – Diretora e professora de ballet clássico – (31) 98605.8026

Marilda Lyra – Produtora e Assessora de Imprensa (31) 99966 4166

Compartilhe com um amigo

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Agenda de convergencia
Cenibra
Sindcomércio Vale do Aço
AAPi
WR
Unimed
Usiminas
Cenibra 02
Usisaude 2
Usisaude 1
Usisaude 3