LITOGRAFIA LOTUS LOBO NO CENTRO CULTURAL USIMINAS

Em anos de pesquisa sobre a linguagem litográfica, a artista Lotus Lobo constituiu importante acervo de pedras matrizes litográficas, embalagens em folha de flandres e matrizes em zinco pertencentes à Estamparia Juiz de Fora. São desenhos de antigas marcas de produtos – manteiga, balas, biscoitos, fumo, banha. O público do Vale do Aço vai poder conferir importantes peças desse acervo, bem como obras de diversos períodos da trajetória artística de Lotus, na exposição “Litografia – Lotus Lobo”.

A mostra fica em cartaz na Galeria Hideo Kobayashi, no Centro Cultural Usiminas, de 19 de fevereiro a 30 de março, com visitação gratuita. Ao passear pela Galeria, o público vai se deparar com uma história de design mineiro. A exposição tem o patrocínio da Usiminas, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, e conta com apoio do Instituto Usiminas. Os visitantes vão receber uma obra de tiragem especial impressa em papelão, inspirada na criação de Lotus Lobo.

Litografia é um processo de impressão de imagens a partir de uma matriz, executada em um tipo de pedra calcária, chamada pedra litográfica. Desenvolvida na Alemanha, no final do século 18, essa técnica chegou a Minas Gerais no final do século 19 e Juiz de Fora se torna o maior parque industrial onde, em 1888, instala-se a primeira gráfica de litografia. As gráficas produziam impressões sobre papel que serviriam como rótulos de bebidas, etiquetas, diplomas, cartazes, mapas e postais, e sobre folhas-de-flandres, para produtos enlatados como manteiga, queijo, doces, fumo-de-corda e biscoito.

Na exposição, temas poderão ser observados não só nos aspectos do design, como tipologia, uso das cores, influências, ecletismo de estilos e criação de uma linguagem gráfica brasileira, mas também a qualidade artística dos desenhos. Ressalta-se que este universo iconográfico foi amplamente utilizado na produção artística de Lotus entre as décadas de 60 e 70, cujas obras deste período proporcionaram a projeção de sua carreira num contexto internacional.

A pesquisa de Lotus Lobo se constrói não só pela experimentação de técnicas e suportes para o processo litográfico, mas principalmente pela reflexão conceitual da litografia como linguagem. Na mostra estarão expostos exemplares de Maculaturas, da década de 70, bem como obras da série recente de litografias Da Estamparia Litográfica, de 2016, que são impressões em papel cartão e embalagem de papelão. Nesta série, as impressões foram orientadas pelo processo das Maculaturas, dos anos 70, porém, em sobreposições de formas/imagens de embalagens e rótulos da litografia industrial sob direcionamento da artista. Junto às obras, serão exibidos fragmentos de sua vasta coleção de litografia industrial, entre eles pedras litográficas, matrizes de zinco e embalagens originais em folhas de flandres.

Para a Diretora do Instituto Usiminas, Penélope Portugal, é um privilégio receber na Galeria do Centro Cultural Usiminas um acervo tão rico na abertura da temporada de exposições de 2019. “Ficamos muito felizes em receber o acervo dessa artista reconhecida mundialmente. Esperamos que todos aproveitem essa oportunidade única de ver de perto obras tão preciosas e cheias de história”, afirma.

Educativo

Os visitantes vão contar com auxílio dos monitores da Ação Educativa do Instituto Usiminas durante a exposição, que também conta com audiodescrição. O atendimento ao público visitante, tanto espontâneo quanto agendado, visa estabelecer um momento de diálogo, de inserção das obras em contextos possíveis, e fornecer acesso e subsídios para que o público conheça e reflita sobre Arte e o universo que a circunscreve. As visitas podem ser agendadas pelo telefone: 31.3824.3731.

Serviço

19/2 a 30/3

Exposição: Litografia Lotus Lobo

 

Local: Galeria Hideo Kobayashi, Centro Cultural Usiminas

Visitação: de terça a sábado, das 10h às 21h

Mais informações: 31.3824.3731