IPATINGA RECEBE PROJETO SESI NO PLCO

“Calango deu!Os causos de dona Nazinha” é um espetáculo teatral baseado na cultura popular mineira

As comemorações pelos 70 anos do Serviço Social da Indústria – SESI continuam no Vale do Aço com o projeto “Sesi no Palco” que apresenta a peça “Calango deu!Os causos de dona Nazinha”, monólogo de uma contadora de causos (histórias curiosas e engraçadas narradas por figuras típicas do interior) que será exibido, exclusivamente e gratuitamente, aos industriários, no dia 10/08, às 20h, no teatro Zélia Olguin.

O projeto consiste em apresentações artísticas de dança, teatro e música com o objetivo de levar aos principais polos e cidades industriais de Minas Gerais mais arte e cultura para o trabalhador da indústria, contribuindo para a qualidade de vida e consequentemente, melhoria na produção e maior competitividade nas empresas. Em 2017, estão previstas cinco turnês de espetáculos que serão contempladas as onze regionais FIEMG.  A primeira turnê, em março deste ano, aconteceu com sucesso em seis cidades alcançando um público de mais cinco mil pessoas.

 Sobre o Espetáculo

 Sucesso absoluto de público e crítica, dirigido por Isaac Bernat, Calango deu! – Os causos da Dona Zaninha, primeiro espetáculo da Cia. Caititu, escrito e interpretado por Suzana Nascimento, é uma peça teatral baseada na cultura popular mineira. O monólogo foi construído ao longo de 5 anos por meio de uma pesquisa feita pela atriz e autora, que abrange vocabulário, hábitos, histórias, músicas, crenças; enfim, uma grande celebração à sabedoria popular. Dona Zaninha é uma guardiã desses ricos acervos de memórias – uma genuína contadora de causos, hilária por seu jeito e seu linguajar, mas profunda com suas “sabências” sobre o tempo. Além de contar surpreendentes causos de amor, de assombração, de padres e beatas, de “semvergonhice”, a personagem também convida a plateia a cantar com seu bandolim, enquanto ensina uma receita ou simpatia. Entre um cafezinho e uma boa cachaça mineira, Dona Zaninha nos conduz a caminhos recheados de humor, poesia e memória.