HOJE EU NÃO QUERO FALAR DE FLORES

Ainda na garganta o grito de Injustiça! ecoa na minha alma, não acreditando que a querida Maria Angélica Nunes nos deixou de forma tão violenta e inesperada.

Menina de doces palavras, sorriso fácil, comprometimento a mil pelo trabalho bem feito, seus 48 anos de vida foram muito pouco para tanta alegria e vivacidade.

Chocada e calada, nossa sociedade se pergunta por que tanta violência no trânsito, por que tanta irresponsabilidade, por que tanta imprudência? Tudo é do tamanho do “Salve-se quem puder” e  da impunidade.

E para o plano do Sagrado se elevou Maria Angélica, deixando Ricardo e as meninas sem chão e sem respostas.

E a vida segue, mais pobre e injusta.