1

FIEMG ATUA JUNTO AO GOVERNO FEDERAL PARA REEDIÇÃO DE MPs

A Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) que, mais uma vez assumiu o protagonismo na defesa dos empregos e da renda dos brasileiros, atuou junto ao governo federal para a aprovação das novas medidas provisórias que visam preservar o emprego, a renda e a saúde dos brasileiros. A MP 1.045 reinstitui o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda (BEm), permitindo a redução jornada e suspensão do contrato de trabalho. Já a MP 1.046 trata das medidas trabalhistas para o enfrentamento da pandemia e permite, entre outras ações, adiar o recolhimento do FGTS e antecipação de férias dos trabalhadores. Os atos foram publicados na edição desta quarta-feira (28/4), no Diário Oficial da União (DOU).

“Desde o início da pandemia, a FIEMG acreditou que poderíamos encontrar soluções para preservar os empregos. Lutou ativamente, apoiou tecnicamente o governo federal com o envio de informações importantes e participou, dessa forma, da construção do programa de manutenção de empregos. Com o agravamento da pandemia, defendemos que um novo pacote de medidas seria essencial. Não havia mais tempo para esperarmos. Sem a reedição do programa não haveria como manter empregos, já que ninguém estava esperando a situação chegar aos níveis críticos em que estamos”, explicou o presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), Flávio Roscoe. O industrial lembrou ainda que a medida ajudou a preservar mais de 11 milhões de postos de trabalho em todo o Brasil em 2020. “Acreditamos que dessa vez também não será diferente. Vamos preservar milhares de empregos na indústria e no nosso estado”, enfatizou.

Assim como em 2020, a redução da jornada de trabalho e de salário será permitida em três situações: 25%, 50% e 70% e valerá por até 120 dias. Nessa hipótese será pago um benefício especial por parte do governo, proporcional ao seguro-desemprego e à respectiva redução da jornada.

A suspensão de contrato será válida pelo mesmo período. O governo vai pagar ao trabalhador um benefício, proporcional ao valor do seguro-desemprego a que teria direito. Em todos os casos, ficará reconhecida a garantia provisória no emprego durante o período acordado e após o reestabelecido da jornada ou encerramento da suspensão por igual período.

“Além da suspensão e de redução da jornada de trabalho, temos ainda um pacote de ferramentas à disposição das empresas que contribuirão para a proteção da saúde dos seus colaboradores e, ao mesmo tempo, vai melhorar a gestão de suas atividades e preservar empregos com a possibilidade de antecipação de férias e feriados, criação de um banco de horas, adoção do teletrabalho sem burocracia”, pontuou o líder industrial mineiro.

Para viabilizar as medidas trabalhistas, o governo federal abriu um crédito extraordinário na ordem de R$ 9,98 bilhões que deverão assistir cinco milhões de trabalhadores de todo o Brasil.

Compartilhe com um amigo

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Agenda de convergencia
Cenibra
Sindcomércio Vale do Aço
AAPi
WR
Unimed
Usiminas
Cenibra 02
Usisaude 2
Usisaude 1
Usisaude 3