FIEMG APROXIMA SETOR METALMECÂNICO E SUCROENERGÉTICO

A FIEMG Regional Vale do Aço, através do Programa de Competitividade Industrial Regional – PCIR promoveu nesta quarta-feira, dia 7, uma aproximação de mercados entre o setor metalmecânico e o setor sucroenergético.
De acordo com os analistas de projetos da FIEMG, Daniela Azevedo e Pedro Casasanta, a reunião é um desdobramento da missão técnica do PCIR à ExpoCigra, feira criada a partir de uma necessidade de mostrar o potencial das indústrias de Uberaba, na qual o Sindimiva e empresários do Vale do Aço tiveram a oportunidade de conhecer as demandas do setor de bioenergia, etanol e açúcar e participar de rodadas de negócios.
“O APL do Vale do Aço e o setor sucroenergético tem um potencial de grandes parcerias comerciais. O estado de Minas Gerais possui diversas empresas de grande porte com potencial de demandas para o setor metalmecânico do Vale do Aço, cuja expertise é reconhecida a nível nacional”, justifica.
Otimista, o presidente do Sindimiva, Carlos Afonso de Carvalho, vislumbra a prospecção de novos negócios. “As empresas do Vale do Aço tem todos os requisitos para se tornarem fornecedores e atender a cadeia de serviços do setor. Vamos focar nas demandas e no início do próximo ano, fomentaremos uma parceria com as empresas através do APL para atender esse novo mercado”, pontuou.
Para o gerente administrativo da Associação das Indústrias sucroenergéticas de Minas Gerais – SIAMIG, Douglas Martins, o Vale do Aço é um potencial fornecedor. “A ideia é aproximar as expertises do metalmecânico às necessidades do sucroenergetico”. Atualmente o estado de São Paulo, especificamente os municípios de Ribeirão Preto e Sertãozinho fornecem equipamentos para a produção sustentável de cana-de-açúcar, açúcar, etanol e bioenergia. Em Minas Gerais esse nicho está concentrado na região do Triangulo Mineiro.
Participaram da reunião o gerente administrativo da Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais, Douglas Martins, o presidente do Sindimiva, Carlos Afonso de Carvalho, Marlon Silva Duarte, presidente do APL Vale do Aço, Jose Arinos Pereira, coordenador técnico do Sindimiva, Luiz Sérgio Martins Júnior, analista de Relações Empresariais da FIEMG Regional Vale do Aço e os analistas de projetos da FIEMG, Daniela Azevedo e Pedro Casasanta Peixoto.
Setor sucroenergético
O setor sucroenergético no Brasil compreende todas as atividades agrícolas e industriais relacionadas à produção de açúcar, bioetanol e bioeletricidade. Estes produtos decorrem de forma quase exclusiva do processamento de cana-de-açúcar utilizada para fins industriais.
O setor pode ser considerado um dos exemplos mais bem-sucedidos de estratégia integrada de desenvolvimento econômico descentralizado, capaz de atingir elevado grau de sustentabilidade ao longo do tempo. No campo econômico, a contribuição do setor tem sido expressiva, pelo seu enorme efeito multiplicador na economia, e pela significativa economia de divisas com a importação de combustível.