FECHAMENTO DA UAI DE FABRICIANO

O vereador Marcos da Luz (PT) denunciou ontem que o Governo de Minas pretende fechar a UAI (Unidade de Atendimento Integrado) de Coronel Fabriciano a partir da semana que vem, no início do mês de abril. A informação foi transmitida ao vereador por funcionários da unidade, sob a condição de anonimato. No final do expediente um e-mail oficial da Seplag foi lido pela supervisão do órgão, dando conta do fechamento da UAI no município, com a justificativa de contenção de gastos. Muitos trabalhadores saíram do trabalho apreensivos e contactaram o vereador, pedindo sua intervenção.

Com um post publicado na sua página no Facebook, a notícia rapidamente se espalhou, iniciando uma ampla mobilização nas redes sociais contra a decisão do governador Romeu Zema (Novo). Marcos da Luz também acionou alguns deputados estaduais, informou que vai cobrar um posicionamento e a manifestação da Administração Municipal, irá envolver os demais vereadores e ele deverá ter uma agenda na Cidade Administrativa, em BH, já na segunda-feira.

O aviso de encerramento das atividades da UAI Fabriciano coincide com a recente inauguração da UAI de Ipatinga, aberta na modalidade PPP (Parceria Público Privada). Portanto, todos os serviços atualmente realizados na unidade de Fabriciano seriam transferidos e centralizados em Ipatinga, o que, na opinião, do vereador Marcos da Luz, “causará enormes prejuízos para a nossa cidade”.

“Esta é uma política entreguista e privatista do governo do Estado, que não leva em consideração o lado social e os interesses do povo, mas apenas a questão econômica”, diz. Segundo ele, são mais de 30 trabalhadores, pais de família, que, possivelmente, perderão o seu emprego. A maioria dos servidores é contratada pela MGS, empresa pública do Estado. Mas outras dezenas de funcionários também serão atingidos com a medida, estima.

Prejuízos

Segundo Marcos da Luz, além das demissões, o fechamento provocará enormes transtornos para os cidadãos de Fabriciano e das cidades vizinhas que procuram a UAI para diversos serviços. Como exemplo, ele cita a emissão de carteiras de Trabalho e de Identidade, CPF, atestado de antecedentes criminais, seguro desemprego, prova eletrônica de legislação, intermediação de mão de obra, entrega de documento de veículo e Carteira de Habilitação, cadastro de visitas aos presídios, solicitado de atestado carcerário, correspondente bancário, 2ª via de conta da Cemig, perícia médica do Estado, vários serviços do Detran, entre outros documentos.

“Juntos, temos que lutar! Não podemos admitir esta decisão arbitrária e equivocada do Governo do Estado, que provocará reflexos negativos também no nosso comércio e na economia local. É a lógica de redução de custos com inevitáveis consequências, pois não considera as questões locais e as necessidades da população. Uma visão de conter gastos a custas do sacrifício de milhares, além das demissões e da precarização do trabalho. Vamos nos mobilizar, envolver todas as lideranças, entidade e tentar barrar mais uma vez o fechamento da nossa UAI”, conclamou Marcos da Luz.