ENCONTRO COM O PRESIDENTE: USIMINAS TEM CINCO PROJETOS PARA RETOMAR CRESCIMENTO

No encontro com a imprensa promovido pela assessoria de comunicação da Usiminas ontem, em Ipatinga, o presidente Sérgio Leite pontuou boas notícias para todos os que, direta ou indiretamente, estão envolvidos com a saúde financeira da siderúrgica.

E foi durante o café, onde estiveram também presentes Tulio Chipoletti, vice-presidente industrial da Usiminas; Luiz Carlos Miranda, membro do Conselho de Administração da Usiminas; Roberto Maia, diretor da usina de Ipatinga; e Ana Gabriela Cardoso, gerente-geral de Comunicação Corporativa da Usiminas, que Sérgio Leite explicou como a Usiminas está focada na execução de cinco frentes prioritárias para a retomada da empresa. Por meio dos projetos Ipatinga, Cubatão, Recursos Humanos, Contratos e Receitas, a companhia está desenvolvendo uma série de ações para melhorar seus resultados e ampliar seu lugar de destaque no setor siderúrgico nacional e internacional.

As ações foram pensadas com o foco na superação de dois grandes desafios. Para o presidente da Usiminas, é necessário que a companhia possa gerar resultados e preservar o caixa. “Estamos trabalhando intensamente para melhorar os nossos resultados financeiros, reduzindo custos e melhorando o nosso desempenho. Contamos com uma equipe altamente qualificada e vamos fazer mais, gastando menos. Também estamos em fase avançada e em breve vamos concluir a renegociação da dívida da Usiminas, que é essencial para equacionar as nossas despesas”, disse.

O executivo afirmou também que a Usiminas possui uma história sólida e consistente e que conta com o apoio da comunidade de Ipatinga e de todos os empregados, aptos a implementar ações com agilidade e superar desafios. “O suporte de todos à Usiminas é muito importante para que voltemos a gerar valor para os acionistas, empregados e para toda a sociedade, proporcionando ganhos mútuos”, comentou Leite.

À frente dos cinco projetos está um grupo de executivos da Usiminas, que reúne representantes de todas as Vice-Presidências e tem como objetivo apresentar soluções rápidas e eficazes para todas as áreas da companhia, com o foco em reduzir custos, aumentar as vendas e retomar em escala a geração de resultado operacional da empresa.

O grupo foi batizado de Grupo dos 10, em alusão aos 7 Samurais, como ficaram conhecidos os engenheiros brasileiros que, em 1958, seguiram para o Japão para realizar cursos e conhecer toda a tecnologia siderúrgica daquele país.

Os cinco projetos essenciais estabelecidos pela nova diretoria, a partir do Grupo dos 10, são:

Projeto Cubatão: Tem o objetivo de encontrar soluções que tornem o negócio rentável e sustentável. Para atingir essa meta, foi criado um grupo de trabalho que mapeou os principais gargalos e passou a estudar alternativas para aumentar a eficiência. Foi garantida a compra de 100 mil toneladas de placas para a produção nos meses de agosto, setembro e outubro. Paralelamente, um Plano de Competitividade está sendo viabilizado para reduzir o custo na transformação de laminados a quente e a frio.

Projeto Ipatinga: Para que processos industriais sejam otimizados, a fim de tornar a Usina de Ipatinga – que já tem um histórico de resultados positivos para a companhia – ainda mais eficiente, estão sendo realizados trabalhos efetivos para a redução de custos mensal, como a economia em grandes reparos e a diminuição dos estoques de manutenção.

Recursos Humanos: Uma reestruturação organizacional está sendo colocada em prática para tornar a empresa mais eficiente. Em paralelo, está sendo feito um desenho organizacional macro da gestão de pessoas, que prevê carreira e sucessão, avaliação de cargos e salários e aumento de produtividade, entre outras possibilidades.

Contratos: Nesse projeto, trabalha-se em oportunidades de redução de despesas focadas em uma abordagem de renegociação e revisão contratual, com inserção de novos modelos de negociação, sempre amparados por benchmarkings e referências de mercado.

Receitas: Prevê a reavaliação das práticas comerciais da companhia, seja na revisão de preços e volume, ou na busca por agregar mais valor aos produtos. Como resultado dessa otimização, está previsto um incremento de volume nos próximos meses. Com os aumentos na Grande Rede (abril, maio e junho) e nos setores Industriais (em duas ondas de reajuste negociadas individualmente), foi possível elevar margem de preço.

Para Sergio Leite, há um grande trabalho a ser feito. “Os primeiros resultados desses projetos nos mostram que é possível recolocar a Usiminas no seu papel de destaque no setor siderúrgico nacional e internacional. Não será fácil, mas acreditamos que é possível. Estamos unidos e entusiasmados com os nossos desafios e acreditamos no sucesso das nossas ações”, comentou.

E a gente aplaude a iniciativa, esperando que o processo seja indolor e os resultados, surpreendentes.


Fotos Edmar Silva