ELE FAZ A DIFERENÇA

Há um novo perfil que delineia os bilionários que ocupam as listas dos mais ricos do mundo. Inaugurado por Bill Gates, da Microsoft, esse jeito compromissado com a pobreza e ignorância faz com que suas riquezas sejam investidas também para a melhoria da qualidade de vida de pessoas menos afortunadas. Agora, a notícia completa o ciclo exemplar e abre caminhos para quem quer ser diferente de apenas ter muito dinheiro.

O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou ontem que vai doar 99% das ações da rede social, atualmente avaliadas em US$ 45 bilhões, para projetos de filantropia no decorrer de sua vida. O executivo também anunciou a criação da Iniciativa Chan Zuckerberg – em parceria com sua mulher, a médica Priscilla Chan – que será responsável por empregar o dinheiro em projetos. O executivo norte-americano de 31 anos fez o anúncio em uma carta publicada em seu perfil na rede social por ocasião do nascimento de sua primeira filha, chamada Max. A menina nasceu no início da semana passada e, segundo comunicado, passa bem. De acordo com Zuckerberg, o nascimento da filha foi a “inspiração” que motivou o casal a criar a fundação e anunciar o investimento.

De acordo com a carta, a Iniciativa Chan Zuckerberg terá foco inicial em projetos nas áreas de ensino personalizado, cura de doenças, conexão de pessoas e construção de “comunidades fortes”. “Hoje, sua mãe e eu estamos nos comprometendo a passar nossas vidas desempenhando um pequeno papel na ajuda para resolver esses desafios”, disse o executivo no texto publicado na rede social.

Zuckerberg ainda não deu muitos detalhes de como será a atuação da Iniciativa Chan Zuckerberg. Em comunicado à imprensa, o executivo afirmou que novas informações serão compartilhadas pelo casal nos próximos meses, depois de o executivo “passar um tempo em família”. Recentemente, Zuckerberg anunciou que vai tirar uma licença-paternidade de dois meses, algo incomum entre executivos de empresas de tecnologia do Vale do Silício.

Em nota, Zuckerberg e Priscilla afirmam que decidiram começar a investir agora na fundação, pois acreditam que “grandes desafios dependem de tempo, além de investimentos, para serem superados”. Eles começaram a pensar no futuro quando decidiram formar sua família e perceberam que poderiam começar a doar agora, enquanto ainda estão jovens e na metade de suas carreiras.

Não é a primeira vez que Zuckerberg anuncia investimentos em filantropia. O executivo já doou cerca de US$ 1,6 bilhão para vários projetos. Recentemente, ele investiu US$ 120 milhões na educação em áreas da periferia de San Francisco, doou US$ 75 milhões para completar a construção de um novo centro do Hospital Geral de San Francisco e ofereceu US$ 25 milhões para o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) para ajudar a frear o surto de Ebola na África.

O executivo assumiu seu primeiro compromisso de doação da fortuna em 2010, quando aderiu à iniciativa Given Pledge, iniciada pelo cofundador da Microsoft, Bill Gates.