E O CÉU FICOU MAIS INTERESSANTE…ELKE FOI BRINCAR POR LÁ

Morreu nesta madrugada, no Rio de Janeiro, a atriz Elke Maravilha. Com 71 anos de idade, a famosa estava internada na Casa de Saúde Pinheiro Machado, em Laranjeiras, desde o dia 20 de junho, após passar por uma cirurgia para tratar de uma úlcera.

O irmão da artista, Frederico, declarou ao site “Ego” que ela sofreu uma falência múltipla dos órgãos. “Depois da cirurgia para tratar uma úlcera e como ela tinha diabetes, acabou não respondendo à medicação. Ela morreu antes de 1h. Ainda não tenho data e nem local de nada”, disse ele sobre o sepultamento da irmã. Frederico ainda comentou sobre o carinho que Elke sempre recebeu do público. “O Brasil foi o melhor lugar para ela. Minha irmã tinha muito respeito por todos aqui. O Brasil foi a tábua de salvação dela e da nossa família. O país abraçou a Elke”, falou.

No perfil da famosa no Facebook, a notícia foi dada para os seus fãs. “Avisamos que nossa Elke já não esta por aqui, conosco. Como ela mesma dizia, foi brincar de outra coisa. Que todos os deuses, que ela tanto amava, estejam com ela nessa viagem. ‘Eros anikate mahan’ (O amor é invencível nas batalhas). ‘Crianças: conviver é o grande barato da vida, aproveitem e convivam’“.

Trajetória

Elke Georgievna Grunnupp, a Elke Maravilha, nasceu na Rússia, no dia 22 de fevereiro de 1945. Chegou ao Brasil ainda criança com os pais para MORAR EM ITABIRA E DEPOIS JAGUARAÇU, sabiam? Saiu de casa por volta dos 20 anos para tentar a vida no Rio de Janeiro, onde fez faculdade de letras. Por falar vários idiomas, trabalhou como professora e secretária. Começou na carreira artística como modelo no final da década de 60.

Na TV, trabalhou por muitos anos como jurada na “Discoteca do Chacrinha”. Elke Maravilha também participou dos programas de Silvio Santos, 85, e também fez novelas, filmes, peças e ainda comandou os seus próprios programas. Polêmica, a famosa era conhecida por seu bom humor, figurinos exóticos e por seus ideais de apoio junto das minorias. Querida pela classe artística e pelo público, Elke Maravilha sempre defendeu a vida e a luta pela igualdade.