DIOR, DIORÍSSIMA!

LUZES ROBÓTICAS E MILHARES DE FLORES NA CENOGRAFIA DA DIOR. Assim começou o grandioso desfile da Dior em Paris. Na passarela, a barriguinha de fora virou estilo de lady Dior. O desfile já abre com um top cropped e shorts, tudo branco, na versão mais delicada e pura de uma Lolita. Se tem algo em que Simons é mestre, entre tantos talentos, é a arte da suavidade moderna. O look se repete ora com parkas, ora com paletós, ou com uma saia sobreposta ou um tricô desconstruído. É como se essas duas pecas fossem a base para a construção das silhuetas, com composições em camadas. O paletó transforma o look em mais clássico, o tricô fúcsia em mais moderno e por aí vai. Transparências e volumes se equilibram numa precisão técnica absurda.

Boas bolsas com potencial de tomar as ruas apareceram no desfile. Há os modelos brancos com alça nude, que faz as vezes de uma tote de luxo. Bem linda, clássica e moderna ao mesmo tempo, com as tiras de couro cruzadas. Para quem gosta de cores, a coleção nao deixa a desejar: tem uma série mais divertida com bolsas metalizadas em prata e ouro e ainda os modelos em vermelho envernizado e azul royal. Mas o destaque vai para as bolsas com inspiração esportiva, mais compridas e arredondadas e em diversas cores, como branco, preto, verde e marrom. Tem para todos os gostos. Agora, quem gostar de todas vai sofrer um pouco na hora de escolher.

Vejam um pouco: