DA PLATAFORMA WGSN: CORONAVÍRUS E ACELERADORES GLOBAIS DE MUDANÇA

A pandemia do coronavírus (Covid-19) alterou os hábitos de grande parte do mundo. Em um momento em que governos e sistemas de saúde implementam medidas drásticas para diminuir o número de infectados e impedir mortes, estamos entrando em um período de incertezas.

Após o fim da pandemia, não esperamos que o mundo seja o que era antes. E esse novo cenário deverá acelerar diversas tendências que a WGSN já previu.

As pessoas deverão aproveitar este momento de pausa para repensar os seus hábitos de consumo. E à medida que o medo em relação ao futuro cresce, a população priorizará marcas e empresas que lhes tragam segurança. Essa revisão de valores ocorrerá junto da aceleração dos modelos digitais, já que o autoisolamento mostra a rapidez com que o mercado consegue se adaptar às demandas on-line.

Conforme a plataforma WGSN adiantou em 2017, a ansiedade se tornou um traço cultural e geracional, assim como o medo. Esse cenário foi previsto nas matérias Propulsores do futuro e O consumidor do futuro 2022.

Os eventos atuais estão acelerando essas mudanças. O medo do consumidor – e o modo como ele responde a esse sentimento – está levando a ações que serão implementadas durante e após a pandemia do coronavírus.

Além das preocupações com a saúde e o bem-estar, as pessoas também se preocupam com o fator financeiro, já que diversas empresas e negócios terão que fechar as portas ou diminuir as operações durante este momento de crise.

Houve um aumento de 14 pontos percentuais no número de americanos adultos preocupados com os impactos econômicos do coronavírus, de acordo com uma pesquisa da Morning Consult, realizada entre 24 e 26 de fevereiro de 2020. Em comparação à quinzena anterior, 69% dos entrevistados demonstraram temor.

As empresas precisam criar estratégias de marketing e varejo (na loja), capazes de aumentar a sensação de segurança e bem-estar e de promover a tranquilidade das pessoas.

A segurança deve continuar na pauta em 2020 graças ao Covid-19. Quando as pessoas voltarem a frequentar espaços públicos após o fim das restrições, as empresas devem investir em estratégias para engajar os consumidores de modo profundo, criando locais que tragam a eles a sensação de estar em casa.

O surto do coronavírus está mostrando que as pessoas estão vulneráveis não só a doenças, mas também a outros tipos de desastre. Dessa forma, as marcas precisam garantir que estejam desempenhando o seu papel da melhor maneira possível. As empresas que tenham autoridade no assunto precisam criar kits de ajuda para as pessoas – específicos para cada região –, implementando os seus recursos por meio de esforços de responsabilidade social corporativa.

A Apple vem apoiando os seus colaboradores em quarentena nas regiões de Wenzhou e Hubei, fornecendo kits de ajuda. Segundo a rede social chinesa Weibo, os kits contêm alimentos, produtos de limpeza e máscaras faciais, além de um iPad para as crianças estudarem e se divertirem. A empresa também enviou uma carta ressaltando a importância da saúde mental e oferecendo acesso a serviços de terapia durante a crise.

No Reino Unido, a Lush foi elogiada por atrair as pessoas às suas lojas para lavar as mãos, com o objetivo de diminuir a transmissão da Covid-19. Na China, a Starbucks investiu em uma estratégia visual para ensinar as pessoas a lavarem as mãos, implementando também “atendimentos sem contato pessoal” em áreas de baixo risco. Essa iniciativa estimula os pedidos digitais, pagos por meio do recurso ‘Mobile Order & Pay’ no app da Starbucks, minimizando o contato e reduzindo o tempo de permanência na loja. O cliente pede a sua bebida pelo app, e quando vai retirá-la, um atendente verifica a sua temperatura antes de servi-lo. Outro funcionário, usando luvas, insere o pedido num quiosque chamado ‘Mobile Order & Pay’, posicionado na frente da loja. Depois disso, o cliente pode entrar e retirar o seu pedido. Para inspirar a resiliência, os copos servidos trazem mensagens como “aguente firme”.

FONTE: https://www.wgsn.com/content/board_viewer/#/86743/pt/page/1