CONSTRUINDO O SABER RETOMA AS AULAS

Cerca de 40 alunos, com idades entre 45 a 90 anos, acompanharam o primeiro dia de aula do projeto Construindo o Saber, que aconteceu na tarde da última segunda-feira (25), na Fundação Aperam Acesita, localizada em Timóteo. A aula muito dinâmica marcou o início da jornada escolar dos alunos no ano de 2019.

Na ocasião, a professora e artista plástica Heliana Guedes, realizou uma apresentação teatral para os alunos. Especialista em gerontologia, Heliana destacou a importância da socialização na terceira idade. “O Construindo o Saber é uma oportunidade de se conservar a memória e também de aprender coisas que não foram possíveis durante a vida. Por meio desse lindo projeto, são criadas oportunidades de alfabetização e socialização que são muito importantes também nessa fase da vida”, destacou a professora.

A coordenadora de projetos da Fundação Aperam Acesita, Flávia Souza, junto com a equipe de professoras voluntárias acolheu os alunos do projeto, reforçando o principal objetivo que é além de alfabetizar, promover a socialização do idoso, possibilitando o seu protagonismo na sociedade. “Queremos que todos tenham a oportunidade de aprender”, afirmou.

A aluna Nadir Ramos, 73 anos, demonstrava ansiedade em começar os estudos após quase quatro décadas fora da sala de aula. Nadir tem o objetivo de se alfabetizar e ressalta a importância do contato com colegas e professores e a relevância que o retorno à sala de aula representa para ela. “Eu sempre almejei retornar à sala de aula, não tive a oportunidade quando era jovem e agora no projeto posso realizar este sonho”, comemora.

As aulas ocorrem às segundas e quartas-feiras, na Fundação Aperam Acesita, das 14h às 17h. Pessoas acima de 45 anos interessados em participar, é só entrar em contato pelo telefone 3849.7744, a participação é gratuita.

O Construindo o Saber é realizado pela Fundação Aperam Acesita há 19 anos, utiliza-se da metodologia participativa que está centrada nos interesses e necessidades dos alunos, partindo de seu referencial e respeitando a forma como o idoso constrói sua aprendizagem. A ação tem como objetivo, propiciar uma alfabetização afetiva e social, levando em conta à dignidade humana, a socialização do idoso, a vivência, a busca da felicidade enquanto qualidade de vida. O perfil do aluno que se destina o projeto de alfabetização é aquele que não teve oportunidade em outra época de completar seus estudos e aquele que nem teve a oportunidade de iniciar os estudos.