CONHEÇA OS VENCEDORES DO CONCURSO DE POESIA CENTRAL DE IDEIAS

“Existe um Futuro para os Livros de Papel?”. Esse foi o tema do Concurso de Poesia Central de Ideias, em comemoração ao aniversário de 14 anos da Biblioteca Central de Ideias do Centro Cultural Usiminas. A novidade é que esta edição foi ampliada para escolas e faculdades do Vale do Aço. O período de inscrições foi de 9 a 25 de abril e, ao todo, foram inscritas 37 poesias. A premiação foi realizada no ultimo sábado (27/4), às 15h, na Biblioteca Central de Ideias do Centro Cultural Usiminas, em evento especial que marcou o encerramento das comemorações. Realizada pelo Instituto Usiminas, de 9 a 27 de abril, a programação de aniversário da Biblioteca Central de Ideias teve patrocínio da Usiminas, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Foi eleita uma poesia vencedora em cada categoria. A Comissão Julgadora, composta pela equipe do Instituto Usiminas e pelo professor Sávio Tarso, avaliaram os quesitos: tratamento redacional, originalidade, criatividade, desenvolvimento do tema e contextualização. O objetivo do Concurso foi levar os participantes a reflexão sobre a importância do tema em questão e fomentar os estudantes de todas as idades a desenvolver a escrita, usar a criatividade, expor talentos e ainda concorrer a prêmios.

Na categoria Fundamental I (06 a 10 anos), as poesias vencedoras foram dos estudantes João Pedro Gomes Pereira, da Escola Municipal Benvinda Moreira Pacheco, e de Levi Neves, da Escola Estadual Dom Helvécio.  Já na categoria Fundamental II (11 a 14 anos), as premiadas foram as estudantes Luana Araújo Pereira Lage, do Colégio João Calvino, e Ana Luiza Menezes de Oliveira, da Escola Sesi Santa Rita de Cássia. A premiação foi de R$ 100 em vale-livros para o aluno ganhador e para a Instituição na qual ele estuda.

A poesia vencedora na categoria Superior (pessoas vinculadas a alguma instituição de ensino superior) foi da estudante da Universidade Pitágoras Unopar, Ivanete Marques Pereira, que recebeu R$ 100 em vale-livros, assim como a instituição em que ela estuda.

Crianças, adolescentes e adultos que não são ligados a instituições também tiveram a oportunidade de participar da categoria Geral. A poesia vencedora foi de Indira Silveira Rezende, moradora de Coronel Fabriciano, também premiada com R$ 100 em vale-livros e um troféu.

A diretora do Instituto Usiminas, Penélope Portugal, salienta a importância da Biblioteca Central de Ideias como espaço que promove a leitura de diversas formas. “Ao longo desses 14 anos a Biblioteca sempre esteve junto da comunidade, tanto como espaço que oferece um acervo sempre atualizado, quanto com ações de estímulo à leitura. A realização do concurso teve uma repercussão muito importante mobilizando escolas e comunidade a escrever sobre um tema atual. Para o Instituto Usiminas é uma alegria poder encerrar a comemoração de aniversário da biblioteca com essa premiação tão especial”, declara a diretora.

Confira as poesias vencedoras:

Fundamental I

Autor: João Pedro Gomes Pereira

Existe um futuro para os livros de papéis?

 

Papel pra criar

Papel  pra embalar

Livro pra ler

E para se encantar

Num futuro tão próximo

Por que não amar?

Eu amo meus livros

E amo cuidar

Existe um futuro

Para sempre melhorar

Mas nossos livros de papéis

Precisamos eternizar

Um objeto físico

Para sempre lembrar

Que ler é importante

Para sempre educar.

 

Autor: Leve Neves

Asas da imaginação

 

Estamos vivendo na era  digital

Pessoas estão trocando livros de papel

Mas algo eles não perceberam…

 

A alegria de poder ler,

Folear os livros…tocar…

Sonhar as histórias

Viajar na imaginação!

 

O livro é uma asa de papel

Onde eu me tele transporto

Para onde eu quero

Livro é sabedoria… livro é vida!

 

Ser nativo ou  imigrante digital

Não importa, não é mesmo?

Livro  é livro…

Baixado, ganhado ou comprado

Todos tem seu espaço!

 

Um lugar especial

Bem guardado

Lá no fundo

 Do meu coração.

 

Fundamental II

Autora: Luana Araújo Pereira Lage

 

Palavras Sem Vida

 

Um livro

E uma tela digital

Duas coisas diferentes que podem ter

A mesma utilidade.

 

Mas,

 

Ter a mesma utilidade e substituir

Não são a mesma coisa.

 

Um dispositivo eletrônico pode facilmente,

Expor um livro digital em sua tela,

Mas não será a mesma coisa de um livro de papel

Aquelas são palavras sem vida.

 

Palavras que não tem a oportunidade

De dançar entre as páginas sensíveis e desbotadas.

Palavras presas em uma tela.

Palavras sem liberdade.

 

Um livro digital jamais substituirá,

O calor de um livro de papel.

O calor de um livro de verdade.

 

Jamais transmitirá a sensação

De virar a página ansiosamente,

Sem saber o que lhe espera.

 

Jamais fará alguém sentir,

A sensação de fechar um livro,

Com orgulho de si mesmo,

Por tê-lo terminado. 

  

Autora: Ana Luiza Menezes Oliveira

 

O futuro do livro de papel

 

No meu ponto de vista,

O futuro do livro de papel

Pode até ser que não exista

 

Com as novas tecnologias,

O livro tem sido deixado de lado,

Jogado nas estantes,

E também empoeirado.

 

Quem sabe no futuro,

Existam apenas livros digitais.

Uma realidade diferente,

Com histórias virtuais.

 

No futuro, um mundo mais tecnológico.

Mas o que não pode ser nunca diferente dos livros,

Independente de ser papel o virtual,

São as histórias que mudaram a vida das pessoas

E as deixaram muito mais especial.

 

Categoria Superior

Autora: Ivanete Marques Pereira

 

Venho de longe, eu venho de lá.

Páginas escritas, escritas em minhas páginas.

Conhecimento, inteligência dos Eruditos.

Decido o futuro de suas vidas, através da escrita.

Fui e serei sua companhia, madrugada a fora.

Tornou-se mestre da tecnologia, a tal globalização.

Apenas num clique, todas informações.

Me deixaram de lado, esqueceram-se do meu legado.

Não me tocam, não sou virtual, sou livro de papel.

Qual será o meu futuro? Temo o meu rumo.

Esquecido? Jamais!

Meu futuro será brilhante.

Podem me tocar, estarei sempre nas palmas de suas mãos, acompanhando-o pela vida, e numa bela canção.

Meu futuro? Serei eterno. Atemporal.

 

Categoria Geral

Autora: Indiara Silveira Resende

 

Desde a criação de Gutemberg

A impressão vem evoluindo

Como da geleira desprende o iceberg

Livros da prateleira vão sumindo

 

Ninguém olvida que o livro

Cultura e saber encerra

Vencer com a leitura

É vencer a própria guerra

 

Aprende a buscar o livro

Nas sombras de tuas dúvidas

Eletrônico, de papel ou falado

Importa mesmo é que dele não fujas.

 

A voz que não quer calar:

Para onde vais, livros digitais?

Expandir o acesso à leitura

Substituir o irmão de papel, jamais!

 

No cronômetro dos séculos

Livro impresso não é ultrapassado

O folhear das páginas cria vínculos

E deixa muito leitor apaixonado

 

O mundo inteiro ecoa:

Livros de papel chegarão mesmo ao fim?

Uma voz, então, ressoa:

Onde estão os leitores, enfim?