COM PRESENÇA DO ATOR VICTOR FASANO, CENIBRA PROMOVE REINTRODUÇÃO DE AVES

Na última segunda-feira, 3/7, a Reserva Particular do Patrimônio Natural RPPN Fazenda Macedônia, em Ipaba, ganhou o colorido de novas aves livres. Ali foi realizada a soltura de 25 casais de jacutingas provenientes do criadouro científico Guaratuba, sediado no estado do Paraná. Na ocasião, o gerente de Meio Ambiente da CENIBRA, Sandro Morais, o ator e ambientalista Victor Fasano (Criadouro Tropicus – RJ), Marcos Wasilewski (Criadouro Guaratuba – PR), Roberto Motta de Avelar Azeredo e James Simpson (Crax Brasil), o prefeito de Ipaba, Geraldo dos Reis Neves, o gerente do Parque Estadual do Rio Doce, Vinícius Assis, Tenente-Coronel PM Juliano Fábio Lemos Dias, Comandante do 14º Batalhão de PMMG, o Comandante da 12ª Companhia de Meio Ambiente e Trânsito, Major PM Warley Geraldo Silva, , Sônia de Almeida, diretora de proteção à fauna do Instituto Estadual de Florestas (IEF), entre outras, e de instituições ambientais.

Esta iniciativa é uma ação do pioneiro Projeto de Reintrodução de Aves Silvestres Ameaçadas de Extinção – PROJETO MUTUM. Por meio de um acordo de cooperação técnico-científica entre a CENIBRA e a Sociedade de Pesquisa do Manejo e da Reprodução da Fauna Silvestre – CRAX firmado em 17/05/1990, o PROJETO MUTUM é desenvolvido na RPPN Fazenda Macedônia. Com cerca de 1.500 hectares de vegetação nativa, a Fazenda Macedônia é a maior em estensão contínua e um dos principais remanescentes de Mata Atlântica do Estado.

Além do incremento populacional, a soltura dos 25 casais de jacutinga proporcionará o aumento da variabilidade genética da população da espécie na Fazenda Macedônia, fundamental para a conservação da espécie. Com essa ação, o Projeto já soma 129 jacutingas reintroduzidas e um total de 36 filhotes nascidos em vida livre, registrados nas matas da Fazenda Macedônia.

Considerando as sete espécies contempladas no PROJETO MUTUM, até o presente momento, 419 aves já foram reintroduzidas ao habitat natural e 258 filhotes já foram registrados em campo durante os monitoramentos. No entanto, estima-se que este número seja expressivamente maior, pelo fato das matas da Fazenda Macedônia serem conectadas a outras áreas preservadas pela CENIBRA, o que possibilita a dispersão das aves para outras regiões.

O Projeto Mutum é um exemplo efetivo de que reintegrar as espécies ameaçadas ao seu ecossistema natural pode ser uma solução para prevenir sua extinção. A base do trabalho da CRAX, parceira do Projeto, está no seu Centro de Pesquisas localizado em Contagem, MG, que abriga cerca de 2.500 aves, de 100 espécies diferentes. Em sua sede, é feito todo o trabalho de preparação e manejo adequado, de forma a proporcionar a ave uma maior facilidade de readaptação ao habitat natural, até seguirem para a RPPN Fazenda Macedônia, onde são reintroduzidas.
O projeto já possibilitou a soltura do Mutum-do-sudeste (Crax blumembachii), do Macuco (Tinamus solitarius), da Capoeira (Odontophorus capueira), do Jaó (Crypturellus noctivagus), do Inhambuaçú (Crypturellus obsoletus), do Jacuaçú (Penelope obscura bronzina) e da Jacutinga (Aburria jacutinga).
A primeira espécie reintroduzida por meio do Projeto foi o Mutum-do-Sudeste (Crax blumenbachii). Daí a origem da nomeação do Projeto, em homenagem à espécie. A reintrodução do primeiro grupo de Mutum-do-Sudeste na Fazenda Macedônia ocorreu em setembro de 1991, seguida da reintrodução do Macuco, em 1994, da Capueira, Inhambuaçú e Jacuaçú, em 1997, do Jaó-do-Sul em 2000 e da Jacutinga, em 2003.