Dr. Abner

CCOVIT19: AUTOMEDICAÇÃO PODE AGRAVAR O QUADRO

A prática da automedicação, muitas vezes é vista como uma solução para o alívio imediato de alguns sintomas, mas não é correta e pode trazer consequências mais graves do que se imagina. Em situações como a da pandemia do novo Coronavírus, os cuidados ao ingerir medicamentos devem ser redobrados.

O uso de remédios de forma incorreta pode acarretar o agravamento de uma doença, pois a utilização errada pode esconder determinados sintomas. A automedicação pode causar ainda uma combinação inadequada com outro medicamento de uso recomendado, o que pode fazer com que um remédio anule ou potencialize o efeito do outro.

A utilização de medicamentos sem prescrição pode trazer, ainda, consequências como: reações alérgicas, dependência e até a morte. Com a pandemia do Covid-19 em todo o mundo, é importante evidenciar ainda mais os riscos que podem ser causados pela automedicação. “O uso abusivo de medicamentos sem prescrição pode facilitar o aumento da resistência do organismo do paciente e comprometer a eficácia dos tratamentos. Cabe ao médico diagnosticar doenças, identificar sintomas e indicar qual o melhor medicamento e a dosagem correta para tratamento. A receita médica é a garantia de que houve uma avaliação profissional para recomendar a utilização do medicamento ao paciente”, ressalta Dr. Abner Moreira de Araujo Junior, superintendente do Hospital Municipal Carlos Chagas, administrado pela Fundação São Francisco Xavier.

O novo Coronavírus pode ser confundido com uma gripe, as pessoas podem se sentir confortáveis para ingerir medicamentos considerados inofensivos. Alguns medicamentos não necessitam de prescrição médica para a venda, mas os riscos com a ingestão incorreta desses remédios também devem ser avaliados. A automedicação não é recomendada em nenhum caso, nem para aqueles quadros que as pessoas podem considerar mais simples. O uso de qualquer medicação deve ser levado a sério e ser feito apenas em situações extremamente necessárias, principalmente no caso de pacientes idosos.

Atendimento

É importante seguir todas as orientações profissionais quanto à identificação dos sintomas do Covid-19 e procurar atendimento médico apenas em situações mais graves. ”Um mínimo sintoma respiratório não é indicativo de que um paciente deve procurar um pronto-socorro (serviço de urgência). A orientação é que a pessoa fique em casa de repouso e procure de preferência os atendimentos eletrônicos (telefones) disponibilizados pelos municípios e serviços de saúde, para o devido direcionamento do seu caso. A informação correta é o melhor caminho para que todos mantenham a calma nesse momento e respeitem as orientações médicas”, conclui Dr. Abner.

 

Compartilhe com um amigo

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Agenda de convergencia
Cenibra
Sindcomércio Vale do Aço
AAPi
WR
Unimed
Usiminas
Cenibra 02
Usisaude 2
Usisaude 1
Usisaude 3