CAPA CHIQUE! NÃO É SOBRE VAIDADE, É SOBRE QUALIDADE DE VIDA

Quando o Dr. Michel Campos Ribeiro chegou a Ipatinga, em 2010, trazia na bagagem uma formação interessantíssima, que o abalizava a atuar em diversos segmentos da odontologia. Graduado em Odontologia pela Faculdade de Odontologia da UFMG, em Belo Horizonte, com Residência em Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial (que trata de traumas faciais, cirurgias propostas para corrigir deformidades esqueléticas, reconstruções ósseas e tratamento das patologias da cavidade bucal ) pela USP,  Mestre em Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial pela mesma universidade, especialista em Implantodontia e Doutor em Estomatologia pela UFMG, esse mineiro nascido em Goiás, mas que considera-se natural de Furnas, no Sul de Minas, viveu um  tempo de consolidação do talento para a área da saúde.

 

Seu grande diferencial começou a ser escrito a partir da escolha para a cirurgia, que é uma das poucas na odontologia que lhe permite trabalhar em centros hospitalares, onde Dr. Michel conseguiu realizar procedimentos avançados, inviáveis em ambiente ambulatorial.

Na Residência em Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial e Implantodontia foram três anos de forma integral. Como uma residência médica e vivência hospitalar de mais de cinco mil horas, Dr. Michel ganhou conhecimento enorme na área do trauma, da cirurgia ortognática (procedimento necessário para corrigir e reposicionar os ossos da face e a mordida de pacientes que apresentam diferentes graus de assimetria na região) e na área das patologias (cirurgias de tumores e reconstrução das áreas afetadas). Devido ao gosto pela pesquisa e pela docência, fez o Mestrado na mesma instituição de ensino, a USP.

A vontade de estudar sempre foi muito grande. Então, não contente apenas com o mestrado, foi atrás do doutorado, agora num laboratório onde já tinha feito iniciação científica, em Belo Horizonte. Foi lá que se deparou com a estomatologia, e onde aprendeu sobre um tipo específico de patologia ligada à má formação vascular, popularmente chamada hemangioma. Em alguns casos, esses hemangiomas vão crescendo e trazendo alterações estéticas, de fala e de mastigação, além de interferir no posicionamento dos dentes, chegando a acontecer dentro do próprio osso da mandíbula da maxila, uma verdadeira tragédia em tempos de redes sociais exibindo falsas belezas. “Doenças que involuem e as malformações foram tema da minha tese de doutorado.”

 

Aguerrido, Dr. Michel sempre correu atrás dos sonhos. “Não desisto. O que me diferencia é a busca por algo que possa modificar a minha vida e de pessoas ao redor. Isso é que me faz chegar próximo dos bons. E isso se faz com muita determinação. Visto de fora, vejo uma construção muito interessante da minha vida pessoal e profissional, e que remete ao julgamento das pessoas para uma Inteligência privilegiada. Mas eu sei, por mim mesmo, que houve muito mais determinação e interesse pelo aprendizado. Mais transpiração que inspiração, eu diria. Sempre coloco foco e objetivos a serem alcançados e provoco essa movimentação a ser positiva”, reflete.

A chegada ao Vale do Aço se deu por motivos afetivos, história coroada com a chegada do filho, Gabriel, nove anos, hoje compartilhado de forma leve e harmônica com a ex-mulher.

“Assim que cheguei, procurei os melhores hospitais e o COI – Centro de Odontologia da Fundação São Francisco Xavier -, em Ipatinga, onde apresentei resultados considerados surpreendentes na Implantodontia”, comemora.

Dr. Michel faz questão de salientar que teve as primeiras oportunidades profissionais ligadas ao grupo Usiminas – Hospital Márcio Cunha e COI, vínculo que permanece e lhe deu a visibilidade que ele precisava para mostrar o seu trabalho e a formação técnica sólida através dos lugares onde passou. É onde exerce a traumatologia e a cirurgia buco-maxilo de fato, em cirurgias maiores, que já denotam que têm que ser hospitalares, ou à condição do paciente, sistemicamente falando. “No HMC opero com equipe do Dr. Rafael e Dra. Ana Paula e, no Vital Brazil, em Timóteo, com Dr. Enéias Souza, todos eles cirurgiões buco-maxilo-faciais também”, informa.

Acho que, das especialidades da odontologia, a estomatologia é uma das mais humanas. Pessoas que não têm acesso ao sistema de saúde vão desenvolver doenças como o hemangioma e o câncer de boca – a mais grave d e todas -, porque não foram detectadas prematuramente. Como faço parte do corpo clínico do Hospital Márcio Cunha, que tem vários convênios, passo a atender a todos, inclusive o SUS, em traumas de face, inclusive acidentes.

Na escala dos acidentes com traumas bucais, é impressionante o número dos ligados a motos. Depois vêm os ligados às bicicletas e os resgatados de agressão física. A propósito, pela distribuição de bares pela região, que é expressiva, e o número de cidadãos que tem o hábito de ingerir bebida alcoólica diariamente e excessivamente, a incidência de traumatologia facial é enorme. Ao lado do álcool, outras drogas, lícitas e ilícitas, contribuem para as agressões físicas. E, da mesma maneira que atendemos um conveniado procedemos no atendimento àquele que advém pelo SUS, uma humanização que é uma conduta valorosa da FSFX.

IMPLANTES E CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS

E quais são as pessoas que procuram o Dr. Michel no consultório da Clínica Núcleo Digestivo para resolver questões estéticas e funcionais?

“O perfil do meu paciente varia. A maioria é de pessoas com deformidades dento-esqueléticas.  O tratamento desse paciente começa na infância ou adolescência, logo após os pais ou responsáveis detectarem o problema. A correção e/ou amenização já são executadas, com perspectivas exclusivamente cirúrgicas. Nesse ponto, eu trabalho com especialistas na área da ortodontia, que é de onde vem normalmente o primeiro contato. Atendo também pessoas que não tinham a informação do problema, possivelmente por não terem tido acesso ao profissional adequado, seja o ortodontista ou o cirurgião. Então, quando essa pessoa detecta a má formação? Quando começa a trabalhar, já na fase adulta. Ela conviveu a vida toda com a face, podendo se achar feias ou não, mas conviveu com ela, sem expectativas, até descobrirem que podem melhorar estética e funcionalmente. Temos uma demanda grande desses pacientes. Eles já têm um plano de saúde, uma renda familiar, e querem a transformação que lhes aumente a qualidade de vida. Querem o melhor, e estão dispostas a investir. Para ambos os perfis, eu trabalho com o que há de mais novo no mundo em termos de tecnologia. Usamos um software de planejamento no consultório, e que se baseia em imagens do rosto e escaneamento dental. Ele me dá respostas numéricas, gerando um pré e um pós cirúrgico. Mas o corpo humano depende de fatores biológicos, e esse é o motivo de alguns profissionais optarem por não apresentar os resultados ao paciente, para não gerar expectativas. O software me traz precisão. Descartamos o papel, o molde de gesso. Tendo gerado o guia cirúrgico, faço um protótipo e uso a impressão 3D.

Na área da Implantodontia, também utilizamos esses softwares, que proporcionam os melhores resultados. Os implantes têm superfícies diferenciadas, que proporcionam encurtamento do tempo de tratamento. A cirurgia é mais precisa e os resultados são muito melhores”.

No consultório, Dr. Michel realiza desde cirurgias de extração de sisos até, outras, maiores, sempre pertinentes ao tamanho do procedimento e/ou à condição física e psíquica do paciente. Ali, a secretária Raquel Dias, que tem formação técnica em higiene bucal e cursa Odontologia, consegue dar a sustentação que os pacientes de Dr. Michel necessitam, e com toda a competência e atenção. Outros recursos avançados utilizados: laser, piezocirurgia e a grande novidade, óxido nitroso, com habilitação de sedação consciente no consultório, usado para pacientes ansiosos.

Mas o incansável Dr. Michel tem mais funções ligadas às suas escolhas profissionais. Ele é professor de graduação na FADIPA, onde coordena a cadeira de cirurgia, e pós graduação na FUNORTE, na coordenação, junto ao Dr. Enéias, da especialização em implantodontia e cirurgia. “Ensino e aprendo. Por isso não consigo abandonar a docência. A troca de informações e o diálogo beneficiam o paciente”, reflete.

Há seis anos ele frequenta importantíssimo congresso europeu, o EAO Congress e é membro da European Association for Ossointegration. No ano passado foram duas viagens: para Colônia, na Alemanha, onde aconteceu a maior feira de novidades da área; e Lisboa, local escolhido para o congresso da academia europeia em 2019. Para lá levou artigos que foram apresentados aos congressistas. Além disso, todos os congressos que acontecem no Brasil, na área de implantes e da cirurgia, têm Dr. Michel como palestrante convidado. Como pioneiro em cirurgia de atm – Articulação Tempromandibular – no vale do aço, salienta que a busca de treinamento fora do país foi primordial para sua carreira, inclusive nas cirurgias por atroscopia, ou endoscópio, que realiza com as equipes.

“Tive dificuldades, inclusive financeiras, mas quando olho pra traz vejo o quanto caminhei em busca do melhor, da excelência. A base é a confiança. Mostro ao paciente que as decisões que irão ser tomadas são exclusivamente em busca do melhor para ele.

Como eu consigo fazer tudo isso? Faço com prazer. Cuidar do meu filho me dá plenitude, cuido do cachorro e ainda corro maratona há três anos, e tudo isso me mantém ligado na vida”, finaliza.

Fotos Gabriel Tanzi

SERVIÇO: CLÍNICA NÚCLEO DIGESTIVO

Rua Cedro, 230 | Horto | Ipatinga | MG

Telefone: (31) 3668-6060