BAILE DA USIMINAS: DOCES LEMBRANÇAS

A festa sempre foi uma das mais importantes do calendário social do Vale do Aço. Luxo, elegância, beleza e fartura sempre presentes na noite em que o presidente da Usiminas, ao lado de toda a sua diretoria, recebia no Morro do Pilar para brindar mais um aniversário da siderúrgica. O movimento que antecedia a noite estendia-se das butiques aos salões de cabeleireiro, das cozinhas estreladas ao batalhão de serviçais, da montagem da decoração ao ritual que da festa, sempre iniciado com música lounge para conversas informais e drinks e atingindo seu ápice com música para dançar.

Este ano, pela primeira vez, o Baile da Usiminas não acontecerá. Não há motivos para comemorar. A hora é de crise, desacertos, incertezas. E como na história tudo passa mesmo, é doce relembrar. Hoje, a festa que eu mostro aconteceu em 2008, já sob o domínio do medo implantado pelo então presidente Marco antônio Castelo Branco. A foto de capa é do casal Afra e Romel Erwin de Souza, ele presidente atual da siderúrgica: