APERAM BEM MAIOR: MOMENTO DE SOMAR FORÇAS

A consciência coletiva é um importante passo para o combate à Covid-19. O momento tem exigido muita cautela, uma postura responsável com foco nas atitudes de proteção. Com isso, o projeto Aperam Bem Maior segue trabalhando em frentes distintas, contribuindo com a arrecadação de recursos para ajudar no atendimento das necessidades emergenciais da comunidade, ações voluntárias, além de outras ações internas que motivam a solidariedade.

Desafios somados ao voluntariado

O voluntariado sempre será traduzido pelas boas práticas e iniciativas que fortalecem uma comunidade. Em tempos de pandemia, somar forças é fundamental para reforçar essas ações, como as que compõem as frentes de enfrentamento ao coronavírus. E o projeto Aperam Bem Maior tem sido desenvolvido graças a esse sentimento de solidariedade inerente ao trabalho de pessoas de boa vontade que dedicam seu tempo em favor da promoção da saúde, de atitudes que têm como objetivo ajudar a salvar vidas.

O casal de voluntários, Ana Maria Dias de Souza Lima e Zodovil Pereira Lima, é um exemplo cheio de dedicação a essa causa. Ambos têm trabalhado diariamente na confecção de máscaras e capotes. Entre uma atividade doméstica e outra, o casal trabalha em sintonia no que chamam de missão de vida. “Tem sido um grande desafio ficar em casa, mas com essa atividade os dias têm sido mais leves e ganhando novo sentido. É um trabalho que nos enriquece, pois ajudamos o próximo e nos ajudamos também”, conta Ana Maria.

Seu esposo, Zodovil Pereira Lima, também segue colaborando. Enquanto Ana Maria corta as máscaras, Zodovil fecha os capotes na máquina de costura. “É uma contribuição que podemos dar com as ferramentas que temos em casa e ainda por cima uma forma de ajudar quem está precisando”, frisa Zodovil.

O projeto Aperam Bem Maior conta com uma média de 160 voluntários no Vale do Aço. Edézia Maria da Silveira Costa também participa da confecção de capotes descartáveis que são doados para os hospitais e para as UPAs da região. “Como a recomendação é não sair de casa, precisei me reinventar e descobrir formas de deixar meu tempo mais proveitoso e útil. Com isso, vi uma oportunidade de me ingressar no projeto Aperam Bem Maior e colaborar com a confecção desses itens essenciais na rotina de quem está na linha de frente”, pontua Edézia.