AGENDA DE CONVERGÊNCIA DO VALE DO AÇO PRIORIZA PROJETOS PARA 2020

Em 2020 os eixos estruturadores: Infraestrutura, Segurança, Saúde, Educação, Competitividade e Sustentabilidade trabalharão alinhados ao Adensamento da cadeia produtiva local, Atração de novos investimentos e Fortalecimento da representatividade política na região.

“É uma agenda fundamental para o colar metropolitano do Vale do Aço e para o estado de Minas Gerais, num momento onde precisamos convergir em prol do crescimento, geração de empregos e renda. Foi uma reunião de alto nível que vem de encontro às ações da prefeitura de Ipatinga”, pontuou o prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha.

Na oportunidade, novos projetos foram apresentados dentre eles: o fortalecimento do setor metalmecânico, do Turismo e do Comércio e Serviço do Vale do Aço, Integração ao mercado global, posicionando-o como referência setorial, além de apresentar o Parque Estadual do Rio Doce – PERD como dinamizador para o desenvolvimento regional, fortalecido por recursos aportados através de medidas compensatórias.

“Para 2020 definimos trabalhar com três grandes objetivos que num contexto geral contribuirão para alcançar os resultados da visão 2030 para o Vale do Aço. Entendo que por meio de projetos mais focados e uma governança de acompanhamento de indicadores e resultados, teremos a oportunidade de alcançar outros resultados que trarão o desenvolvimento e o fortalecimento da região”, reforçou o coordenador do eixo de Sustentabilidade, Venilson Vitorino.

 

Plano Estratégico Minas Gerais e Espírito Santo – União de Forças

Na ocasião, Flaviano Gaggiato, mencionou o Plano Estratégico Minas Gerais e Espírito Santo – União de Forças, lançado nessa segunda-feira, em Belo Horizonte, cujo objetivo é promover o desenvolvimento econômico e industrial de ambos os estados com foco em: Infraestrutura e Logística, Desenvolvimento do Vale do Rio Doce, Negócios de Óleo e Gás e Segurança Jurídica em Transações Interestaduais.

O Plano visa a Melhoria substancial das infraestruturas dos estados; Mais oportunidades para empresas capixabas e mineiras em projetos, obras e serviços; Criação de empregos em obras e operações; Absorção de novas tecnologias com capacitação de pessoas; Aumento da competitividade das empresas e Desenvolvimento sócio-econômico das regiões”, explicou.

Otimista com a iniciativa, Gaggiato, acredita que o Vale do Aço será beneficiado com os investimentos contemplados no Plano que têm grande potencial de geração de emprego e renda.

“Na Infraestrutura e Logística, uma das pautas é a concessão e duplicação das BRs 381 Norte (Belo Horizonte a Governador Valadares) e a 262 Leste, entre João Monlevade (MG) e Viana (ES). O plano destaca também a renovação da concessão da Estrada de Ferro Vitória-Minas. No foco estratégico do setor de Óleo e Gás, são defendidas diretrizes para o Mercado Livre de Gás, como a aprovação do Projeto de Lei 6407/13, que dispõe sobre medidas para fomentar a Indústria de Gás Natural”, concluiu.

Mais informações sobre os projetos da ACVA no site www.agendadeconvergenciamg.org.br/valedoaco