A QUEM AGRADA?

Acho complicado apontar erros e discutir atitudes, quando não estou face-to-face com o meu interlocutor, ou sobre quem quero falar.

No caso, não é “quem”, e sim “o que”. Mas vamos aos fatos:

A Prefeitura Municipal de Coronel Fabriciano sempre usou de um método irrepreensível quando a administração resolvia colocar radares nas ruas e avenidas do município: avisar antes, muito antes, com faixas explicativas nos locais e releases para a imprensa falada, escrita e televisada.

Não foi o que aconteceu agora. O radar instalado na Magalhães Pinto, próximo ao supermercado Duvale, tem feito a festa para o município, em termos de arrecadação. Nunca houve faixa alguma indicando que ali estaria um inibidor de velocidade, e que a velocidade máxima permitida tivesse sido diminuída, de 50km/hora para 40km/h.

Não, não fui multada, e nem serei, porque sempre uso as ruas paralelas para evitar o movimento da Av. Magalhães Pinto. A propósito, há anos não tenho ouvido falar de um só acidente nas imediações do local em questão e, via de regra, os motoristas respeitam a passarela para pedestres com paciência e respeito. O executivo tomou uma medida desnecessária e antipática que, além de tudo, provocou falatório geral.

Estimo a prefeita Rosângela Mendes e acredito na boa fé desta valorosa mulher, mas não posso deixar de sugerir que ela analise com carinho esta e outras questões de seu governo que estão se transformando em representativa insatisfação popular.