SETEMBRO VASCULAR NA UNIMED VALE DO AÇO

Com o objetivo de alertar e conscientizar a população sobre a importância da prevenção e do tratamento precoce dos problemas vasculares, o mês de setembro ganha a cor vermelha. Responsável por mais de 850 mil óbitos no Brasil todos os anos, de acordo com dados do SUS e do Ministério da Saúde, as doenças do sistema circulatório representam 40,9% do número de mortes por doenças crônicas não transmissíveis.

 

“O Setembro Vascular é uma campanha nacional e na medida em que a gente orienta, as pessoas passam a inserir o checkup vascular na rotina delas. Isso é importante porque grande parte das doenças e óbitos que temos hoje são devido as cardiovasculares. E na angiologia também temos doenças que fazem as pessoas perderem o trabalho e outras atividades comuns do dia a dia, como as tromboses, as feridas nas pernas. Então a campanha serve como uma forma de prevenção. Pessoas mais informadas tem menos doenças”, afirmou o médico cooperado e angioplasta e cirurgião vascular da Unimed Vale do Aço, Dr. Luiz Ronaldo Godinho.

 

O especialista chamou a atenção sobre as estações quentes e o aumento de doenças relacionadas ao sistema vascular. “O calor é o período em que os inchaços nas pernas crescem. Existe o inchaço relacionado ao decorrer do dia, ao fato de ficar muito em pé ou sentado, e as altas temperaturas evidenciam esses sintomas. Mas é diferente de um inchaço agudo, repentino e em um membro só. É importante ficar alerta quando esse inchaço vem junto de uma vermelhidão no membro inferior, por exemplo, e nesses casos é fundamental procurar o médico”, acrescentou.

 

Para o médico, as ações desenvolvidas ao longo do Setembro Vascular são essenciais para a manutenção da saúde pública. “Essa campanha é fundamental. Uma pena que esse ano, em decorrência da pandemia, não pudemos fazer o evento que é realizado anualmente no Parque Ipanema, com orientações a população. Em um desses eventos já diagnosticamos aneurismas e outras doenças ligadas ao sistema circulatório, salvamos vidas e mudamos a realidade de muitas pessoas. A intenção do Setembro Vascular, que é lei em Ipatinga, é mostrar a população como é essencial darmos atenção e o devido cuidado com a nossa saúde. Quando as pessoas se cuidam, a qualidade de vida delas melhora e os índices de mortalidade diminuem”, afirmou o cooperado.

 

Sistema Vascular e Covid-19

O médico explicou que em decorrência da pandemia, o número de pacientes com problemas vasculares que procuraram atendimento médico em uma eventual emergência ou que suspenderam tratamentos cresceu consideravelmente. “Sem dúvida muitas pessoas com medo da pandemia evitaram procurar hospitais e clínicas. Tivemos pacientes, por exemplo, que se mantiveram dias em casa e com dores nas pernas, e acabaram evoluindo para uma trombose do membro inferior. A população precisa entender que dar continuidade aos tratamentos é essencial e qualquer evidencia de uma patologia, seja um inchaço, uma dor, é um sinal de alerta. Pacientes portadores de aneurisma, problemas na aorta. Não podemos retardar o atendimento médico”, afirmou o Dr. Luiz Ronaldo Godinho.

 

O angiologista ainda acrescentou que o novo coronavírus tem efeitos no sistema vascular que devem ser observados pelos pacientes portadores da doença. “ Existe uma etapa da Covid-19 que tem um efeito trombogênico, e isso ocorre mesmo em pacientes sem pré disposição. É importante a orientação não só do ponto de vista vascular, mas que seja feito o tratamento de forma eficiente de todas as etapas, seja ela a viral ou inflamatória, para que se evite chegar a essa etapa trombogênica”, concluiu o Dr. Luiz Ronaldo Godinho.